Líder da Oposição

2021 será ainda mais desafiador do que 2020, avalia Jean Paul

Precisamos garantir vacina para toda população, sem disputa ideológica”, afirma o líder da Minoria no Senado
:: Assessoria do senador Jean Paul Prates3 de fevereiro de 2021 09:34

2021 será ainda mais desafiador do que 2020, avalia Jean Paul

:: Assessoria do senador Jean Paul Prates3 de fevereiro de 2021

Nesta quarta-feira (3), o Congresso Nacional faz a abertura oficial dos trabalhos legislativos. A cerimônia, ocorre após as eleições das novas mesas diretoras do Senado e da Câmara, que elegeram como presidentes Rodrigo Pacheco (DEM) e Arthur Lira (PP-AL), respectivamente.

Para o senador Jean Paul Prates (PT-RN), novo Líder da Minoria no Senado, este ano será ainda mais desafiador do que o ano de 2020, afetado pela pandemia do novo coronavírus. “As medidas adotadas pelo governo Bolsonaro e pelo seu ministro da Saúde, infelizmente, colocaram em risco muitas vidas. Já perdemos mais de 220 mil brasileiros para o coronavírus. Mesmo com o início da vacinação, o país ainda tem mais de 1000 mortes por dia e algumas medidas de apoio à população afetada pela crise perderam sua validade, como, por exemplo, o auxílio emergencial. Além disso, precisamos garantir vacina para toda população brasileira, sem disputa ideológica, política ou regional”, disse.

Jean Paul destacou também que o Congresso precisa pautar matérias que contribuam para a retomada do crescimento econômico e para a recuperação financeira dos estados e municípios. “A economia precisa de sinais de que vai se recuperar de maneira robusta nos próximos anos e o Congresso Nacional tem um papel fundamental para que isto se concretize”, explicou.

O parlamentar potiguar defendeu ainda que é preciso evitar que as pautas de costumes e as que atacam o estado brasileiro prosperem em Brasília. “ Não podemos deixar que este governo venda nosso patrimônio, como os Correios e a Petrobras. A bancada do Partido dos Trabalhadores vai lutar contra essas medidas, contra a retirada de direitos da classe trabalhadora e contra as medidas que prejudiquem a população vulnerável”, finalizou.

Leia também