Jean Paul Prates

Cade não pode ser instrumento para justificar políticas de governo

Indicados para cargos públicos devem se lembrar que terão mandato para servir ao Brasil e não a quem os indicou, destacou o senador
:: Assessoria do senador Jean Paul Prates26 de setembro de 2019 09:55

Cade não pode ser instrumento para justificar políticas de governo

:: Assessoria do senador Jean Paul Prates26 de setembro de 2019

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) defendeu que, os indicados para cargos públicos devem se lembrar que terão mandato para servir ao Brasil e não a quem os indicou. Ele participou da sabatina de quatro indicações para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na Comissão de Assuntos Econômicos da casa. “Vocês serão gratos a quem indiciou, mas daqui para frente trabalham pelo Brasil”, afirmou Prates.

Jean Paul recomendou que os sabatinados não atuem na defesa das praticadas econômicas adotadas por um governo. Ele lembrou que, recentemente, foi homologado um Termo de Compromisso de Cessação de Prática (TCC), firmado entre Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Petrobras, envolvendo a venda de oito refinarias ( 50% do refino do país) . “ O Cade não pode ser instrumento para justificar as políticas de um governo. Sem termina o processo no CADE, a Petrobras foi lá e colocou à venda as refinarias”, criticou.

Ele lembrou ainda que o governo não pode usar o Conselho Administrativo de Defesa Econômica para fazer a venda de ativos e de subsidiárias da Petrobras. “Mandar vender ativos, é sentença final num processo concorrencial. O governo precisa ter coragem e afirmar que quer vender a Petrobras em pedaços. Não se escondendo, atrás do Cade, para fazer esta venda”, finalizou.

Confira a íntegra da matéria

Leia também