Jorge Viana pede explicações à Funai sobre índios isolados no Acre

Viana: “Precisamos garantir que o contato com esse povo não implique risco de vida para eles”A notícia de que populações indígenas que viviam isoladas na fronteira do Brasil com o Peru foram encontradas com fome e fortes sintomas de gripe preocupou o senador acriano Jorge Viana (PT). Ele quer que a presidenta da Funai, Maria Augusta Boulitreau Assirati, compareça à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA)  na próxima semana para esclarecer  as providências adotadas pela Funai para garantir a proteção dessa comunidade.

:: Da redação31 de julho de 2014 14:19

Jorge Viana pede explicações à Funai sobre índios isolados no Acre

:: Da redação31 de julho de 2014

“Temos de dar uma adequada condução a esse desafio que é fazer contato com esses povos primitivos sem que isso implique risco de vida para eles”, observou, em pronunciamento ao plenário nessa quarta-feira (29). Nessa semana, o senador dedicou-se ao tema em Brasília.

“Parece incrível, nem dá para acreditar, mas existem populações no Planeta, na Amazônia brasileira, que nunca fizeram contato conosco; que não têm nenhuma relação com o que usamos, com o que disputamos, com este mundo que a gente acha tão imprescindível, que vai do celular à internet, a roupas, a casas. São populações primitivas que vivem na floresta”, disse, lembrando que trabalha com essa realidade desde 2001, quando governou o estado do Acre.

O senador lembrou que o país adota, desde a década de 80, uma política exemplar para lidar com essas comunidades isoladas. “Nos locais onde há alguém que ainda não fez contato conosco, mantém-se aquela pessoa protegida de longe, não se faz nenhum contato”. Segundo ele, esse é o procedimento mais correto, já que, exatamente por viverem longe das demais populações, não têm imunidade contra doenças como gripes, sarampo  e outras infecções que são transmissíveis pelo contato entre as pessoas.

A comunidade indígena teria entre 300 e 500 pessoas das quais mais de 70 fizeram contato com “o povo branco” em uma região próxima a Assis Brasil. . “Talvez por pressão de traficantes do Peru, madeireiros do Peru, eles vieram mais para o lado, andando mais ainda, imagina o senador.

Viana lembrou, em seu discurso, que sua página no facebook (facebook.com/senadorjorgeviana) e no site( jorgeviana.com.br)  há mais informações sobre o caso.

Giselle Chassot

Leia também