Jorge Viana solicita auxílio federal para cidades alagadas do Acre

“Não é situação de emergência. É de calamidade pública”, afirma VianaOs alagamentos das cidades próximas ao Rio Acre levaram os parlamentares da bancada acreana a pedirem o auxílio do governo federal. Foi o que alertou o senador Jorge Viana (PT-AC), durante discurso em plenário nesta segunda-feira (23). Segundo ele, a situação vivida pelas cidades da região próxima ao rio é de calamidade pública.

:: Da redação23 de Fevereiro de 2015 18:57

Jorge Viana solicita auxílio federal para cidades alagadas do Acre

:: Da redação23 de Fevereiro de 2015

O tema será tratado em reunião no Ministério da Integração Nacional com o titular da pasta, Gilberto Occhi, na terça-feira (24), às 16h. De acordo com Viana, que ajudou a organizar o encontro, a região do Alto Acre enfrenta um dos piores alagamentos de toda a história. Cidades como Assis Brasil, Brasileia e Xapuri estão completamente alagadas.

Segundo Viana, os parlamentares acreanos vão pedir que uma equipe da Defesa Civil nacional some esforços junto à Defesa Civil local nos municípios. O senador acrescenta que, se não fossem as medidas adotadas há três anos, a situação seria ainda mais dramática.

Desde 2012, quando ocorreram alagamentos nas cidades próximas ao Rio Acre, foi implementado um sistema de monitoramento para prevenir os moradores que vivem na região. Com a adoção do sistema, desenvolvida pela Agência Nacional de Águas e pelo Ministério do Meio Ambiente, agora é possível alertar com antecedência sobre possíveis alagamentos devido ao aumento do volume de água do rio.

“Os prejuízos são incalculáveis. Não há o que se discutir. Não é situação de emergência. É de calamidade pública”, afirmou o parlamentar.

Segundo o governo estadual, até sábado, cerca de 600 famílias estavam desabrigadas apenas na cidade de Brasileia e 10 bairros foram atingidos pelas águas. Ainda segundo o governo, a previsão meteorológica aponta que as chuvas devem continuar até quarta-feira (25).

Leia mais:

Viana acompanha obras de recuperação da BR-364

Viana relata dificuldades para lidar com cheias no Acre