Jornais preparam noticiário dizendo que PT está isolado na CPI

:: Da redação30 de abril de 2014 19:22

Jornais preparam noticiário dizendo que PT está isolado na CPI

:: Da redação30 de abril de 2014

Perguntas feitas ao líder do PT revelam presunção de que Partido estaria só na defesa de comissão só com senadores

Em entrevista no começo da tarde, Humberto
Costa teve que contornar interpretações
preconceituosas

Não se sabe ainda se haverá uma CPI exclusiva só do Senado ou uma mista, com a presença de deputados e senadores, para investigar a compra da refinaria de Pasadena (Texas, EUA) pela Petrobras, mas os jornais e televisões se preparam para afirmar que o PT poderia estar isolado na defesa de uma CPI no Senado e afinam o coro da oposição, que deseja transformar uma CPI mista num palanque eleitoral.

No começo da tarde desta terça-feira (30), o líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo, Humberto Costa (PT-PE), concedeu em entrevista para jornais e tevês assim que saía do plenário do Senado e, quase numa voz uníssona, a curiosidade era esta: o PT vai ficar isolado na CPI?

Uma repórter da Folha de S. Paulo, por exemplo, iniciou a entrevista com a seguinte indagação: a oposição prometeu instalar a CPI mista na semana que vem. Os líderes indicam (os integrantes) na semana que vem?

Humberto – A informação que tive é de que na terça-feira vai haver a reunião com todos os líderes do Senado e da Câmara, e na terça-feira ele (o presidente do Senado, Renan Calheiros) receberia as indicações para a CPI exclusiva do Senado. Ele vai receber na terça-feira as indicações para a CPI exclusiva e provavelmente para a CPMI do metrô. Nós já estamos coletando as assinaturas e na terça-feira nós vamos ter o número e o requerimento pronto para ser lido.

Repórter da Folha de S. Paulo – A do metrô é só Senado?

Humberto – Senado e Câmara.

Repórter – É mista também.

Humberto – É

Repórter – Mas vai ter que aguardar a sessão do Congresso para ler (o requerimento).

Humberto – Não. Veja, nós só vamos aceitar indicar qualquer coisa para CPI mista se for, também, dia 20 de maio. Vai ter discussão, não tem nada decidido. Nós nem vamos concordar com a CPI mista e achamos que qualquer coisa precisa ser vista na sessão do dia 20.

Repórter – É, mas em entrevista há pouco para nós, ele, o Renan (Calheiros), deixou bem claro que acha que a decisão do Supremo (decisão monocrática na ministra Rosa Weber), se aplica e nem precisa responder àquelas questões de ordem.

Humberto – Qualquer senador, qualquer partido pode recorrer desse entendimento.

Repórter – Ele (Renan, segundo os repórteres), disse que indicaria (os integrantes da CPI) se os líderes não indicassem.

Humberto – Vai ter muita conversa daqui para lá.

Folha – É. Então, digamos assim, suposição, se na terça os líderes, que não é uma decisão só dele (Renan), se os líderes decidirem instalar a CPI mista, o PT vai ser contra. É isso que a gente pode dizer?

Humberto – Olha, hoje a posição que nós temos é esta. Quem quer fazer CPI mista não quer apurar nada. Quer montar um palco para uma disputa eleitoral exatamente como nós assistimos na CPI do Cachoeira. Numa CPI só do Senado nós temos 20 membros. Nós temos a expertise do Senado, nós temos o fato de que toda essa discussão começou aqui e nós temos condição de fazer uma investigação equilibrada e serena. Numa CPI mista nós temos 40 membros, mais 150 que vem da Câmara para pedir a palavra, fazer questão de ordem. Cada requerimento que se vota são vinte, trinta inscritos para fazer encaminhamentos. Então, não é para funcionar.

Repórter da TV Globo – O PT acabou ficando sozinho nessa posição. O próprio PMDB defende, também, que seja uma CPI mista. Não fica ruim?

Humberto – Nós ainda não sentamos com o PMDB para ouvir a posição deles, se é isso mesmo.

Repórter da TV Globo – O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, já falou.

Humberto – Ele é líder da Câmara. Eu não tive a oportunidade ainda de falar com o líder (do PMDB) no Senado. Não sei.

Repórter da TV Globo – Ele disse para a gente que indicaria quando Renan…

Humberto – Bom, vamos ver.

Repórter da Folha de S. Paulo  – Não é ruim para o PT ficar sozinho nessa posição?

Humberto – Veja, nós vamos conversar. Nós temos uma semana daqui para lá. Quando nós conversamos com o PMDB, conversamos com outros partidos da base aqui no Senado, nosso entendimento era de que deveria ser uma CPI do Senado. Até agora eles não chegaram para nós para dizer “nós mudamos de posição”. Então, não tenho como dizer o que vou fazer ou não vou fazer. A posição nossa continua sendo a de que deve ser uma CPI do Senado. CPI mista é sinônimo de não investigar nada.

Repórter da Folha de S. Paulo – Senador, o senhor já tinha escolhido os nomes para a CPI do Senado que o PT indicaria?

Humberto – Já.

Folha – Quem serão?

Humberto – Olha, serão o Pimentel (José Pimentel (PT-CE), o Anibal Diniz (PT-AC), eu, Jorge Viana (PT-AC). Do PCdoB a (senadora) Vanessa Graziottin (AM). Do PDT o (senador) Acir Gurgacz (RO). Nós tínhamos convidado o Valadares (senador Antonio Carlos Valadares – PSB-SE), mas ele disse que não quer participar de CPI. Então, vamos fazer com esses outros.

Repórter – O relator vai ser o Pimentel (senador José Pimentel)?

Humberto – Não sei. Porque não sei se o PMDB vai querer a presidência.

Repórteres (juntas) – Mas o senador Eunício (Oliveira – PMDB-CE) acabou de dizer que vai querer a presidência na CPI do Senado.

Humberto – Sim. E se for mista? Vai ter um relator da Câmara.

Repórter – É verdade.

Terminada a conversa com os jornalistas, Humberto Costa caminhava para o restaurante do Senado, mas foi abordado para fazer uma gravação rápida com a TV Globo. Nessa entrevista, o repórter fez as seguintes perguntas para o líder:

Repórter – Os senhores preferem uma CPI só do Senado?

Humberto – É.

Repórter – Porque?

Humberto – Por que na CPI do Senado nós vamos poder fazer uma investigação com serenidade, com tempo, sem o espaço se transformar da forma como se transforma na CPI mista, um palco de disputa política. Nós já vivemos recentemente a experiência da CPI mista do Cachoeira, que virou na verdade uma briga política e não se investigou praticamente nada. Eu acho que no Senado foi onde toda essa discussão começou. Na minha avaliação a decisão do Supremo (Tribunal Federal – STF) se aplica ao Senado e então nós vamos defender essa posição. Nós queremos que seja uma CPI exclusivamente do Senado.

 

Repórter – Senador Humberto Costa, o presidente Renan vai pedir as indicações dos líderes para a CPI mista. Vão funcionar duas CPIs, a CPI do Senado e a mista?

Humberto – Veja, nós vamos discutir essa questão. Eu acho que seria irracional termos duas CPIs, mas acho também que a CPI mista não é a melhor alternativa para quem deseja investigar. Aqui no Senado nós temos a condição, a legitimidade para investigar. Nós temos um número de participantes na CPI que permite que haja uma discussão aprofundada de toda investigação e nós corremos um risco menor de transformar a CPI num palco meramente de disputa eleitoral. Nós vamos indicar os nomes para a CPI do Senado, já esta semana, e esperamos que seja ela a que prevaleça.

Repórter – Agora a oposição diz que prefere a mista. Os senhores preferem só a do Senado. Vai ficar um cabo de guerra ou acaba não saindo nenhuma?

Humberto – Veja, todas as possibilidades são possíveis. É possível haver duas CPIs, é possível que se chegue a um entendimento e prevaleça uma delas, mas a nossa posição é pela CPI do Senado.

Repórter – Agora, o PT ficou isolado, porque até o PMDB já disse que indica (os nomes dos integrantes) para a mista (CPI) também.

Humberto – Até o presente momento o PMDB não nos informou oficialmente de que tivesse mudado de posição. Nos entendemos com eles (PMDB), discutimos e nossa posição era que prevalecesse a CPI aqui do Senado.

Repórter – O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) disse que vai escolher a presidência (da CPI). Cabe ao PT, então, a relatoria. É uma boa postura?

Humberto – O PMDB tem, pelo fato de ter a maior bancada, a prioridade de escolher qualquer um dos dois principais cargos. Com o PMDB ficando com a presidência, o PT terá a relatoria.

 

Repórter – O senhor já têm os nomes para a comissão?

Humberto – Dentro do Senado nós já temos os nomes escolhidos. Seremos o senador Pimentel (José Pimentel), o senador Jorge Viana, o senador Aníbal Diniz. Do PDT o Acir Gurgacz, do PCdoB a senadora Vanessa Graziottin e eu também serei membro.

Repórter – O senhor vai ser o relator?

Humberto – Não. Se for uma CPI só do Senado, o provável nome de relator seria o de Pimentel.

Deu para notar que, durante as entrevistas, em nenhum momento os repórteres quiseram saber com riqueza de detalhes sobre o andamento e da coleta de assinaturas para a abertura da CPI mista para investigar a corrupção no metrô de São Paulo.

Marcello Antunes

Leia também