Líder do PT corrige líder tucano sobre liberdade de expressão

Wellington esclarece Aloysio Nunes: PT não é favor de censura à imprensa. PT quer regulamentar um conselho de comunicação, como prevê a Constituição.

:: Da redação21 de fevereiro de 2013 22:23

Líder do PT corrige líder tucano sobre liberdade de expressão

:: Da redação21 de fevereiro de 2013

 

Wellington: previsto pela Constituição,
o Conselho é a garantia da liberdade e
da independência do setor de imprensa
e comunicação

O líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo, Wellington Dias (PT-PI), esclareceu duas informações ditas pelo senador tucano Aloysio Nunes (PSDB-SP), de que o presidente do PT, Rui Falcão, teria defendido um processo de censura à imprensa. A afirmação teria sido dada por Rui Falcão ontem, no primeiro seminário de dez anos do governo democrático e popular que se realizará no País inteiro. Nos últimos dias, a oposição tem afirmado que o PT promoveu uma censura à cubana Yoani Sanches que visitou o Brasil – a ativista foi recebida na Câmara por parlamentares como Jair Bolsonaro e Ronaldo Caiado. “Não procede a informação de que o presidente do PT, Rui Falcão, tenha, nem ontem e nem em qualquer momento, defendido qualquer processo de censura à imprensa. Não. O que ele trata, vem tratando e nós tratamos aqui abertamente, sempre, é da regulamentação de um conselho”, disse Wellington.

O líder lembrou que está em funcionamento conselhos como o de Justiça e do Ministério Público, por exemplo. “O País tem na Constituição a criação desse conselho, que não trata apenas necessariamente da imprensa, mas de todas as áreas para proteção, inclusive, da independência do setor de imprensa e comunicação”, afirmou.

Em seu discurso de hoje, o senador Aloysio Nunes também voltou a dizer que os governos de Lula e Dilma deveriam reconhecer os avanços do governo tucano, principalmente no Fundef. Wellington, então, esclareceu que o PT reconhece alguns avanços, mas esse fundo, na verdade, só atendia o primário e o governo do PT incluiu o ensino médio como compromisso do Brasil.

 

Marcello Antunes

Leia também