buscando caminhos

Lideranças do PT se reúnem e discutem estratégias para 2021

“O objetivo principal dos nossos encontros é ficarmos sintonizamos com as principais lideranças do partido e os espaços políticos que ocupamos para exercermos juntos a boa política e encontrarmos saídas para melhorar a vida dos brasileiros”, afirmou o líder do PT no Senado, Paulo Rocha
:: Assessoria do senador Rogério Carvalho2 de fevereiro de 2021 16:13

Lideranças do PT se reúnem e discutem estratégias para 2021

:: Assessoria do senador Rogério Carvalho2 de fevereiro de 2021

O líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PA), e o senador Rogério Carvalho (PT-SE) se encontraram com Fernando Haddad, nesta terça-feira (02), com o intuito de planejar as ações do Partido dos Trabalhadores ao longo do ano de 2021. “O objetivo principal dos nossos encontros é ficarmos sintonizamos com as principais lideranças do partido e os espaços políticos que ocupamos para exercermos juntos a boa política e encontrarmos saídas para melhorar a vida dos brasileiros”, destacou o senador Paulo Rocha.

O senador Rogério Carvalho afirmou que o Brasil, hoje, teria melhores condições de enfrentar a pandemia do novo coronavírus se Fernando Haddad fosse o presidente da República. “Rever o Haddad me faz imaginar como seria o Brasil hoje, se ele tivesse ganhado a presidência da República. Teríamos assistência em saúde, emprego, dignidade. Com certeza teríamos uma vida melhor”, disse.

“Tudo está em risco no momento em que o presidente da República, que deveria unir o país em torno de um projeto, comete crimes de responsabilidade semanalmente. A competência das nossas bancadas na Câmara e no Senado segue na atuação firme para proteger a democracia brasileira. Estamos sempre em conversa para orientar os próximos passos do PT que não descansa em impedir o autoritarismo do atual governo. ”, apontou Fernando Haddad.

Durante a conversa, os líderes também defenderam o impeachment de Jair Bolsonaro e a recuperação dos direitos políticos do ex-presidente Lula. “Se não fosse todo o resto, as mensagens que vimos dos hackers, já seriam suficientes para a prisão de [Sergio] Moro. Só que enquanto se investiga, um inocente paga pela ilegalidade descarada da Lava Jato. Precisamos urgentemente resgatar os direitos políticos do presidente Lula que ainda sofre perseguição política”, enfatizou Haddad.

Leia também