Lindbergh: censura aos EUA e explicações sobre espionagem no País

Comissão de Relações Exteriores aprova censura ao governo norte-americano. Embaixador foi convidado a explicar.

:: Da redação9 de julho de 2013 19:50

Lindbergh: censura aos EUA e explicações sobre espionagem no País

:: Da redação9 de julho de 2013

Senado quer saber explicações do Governo sobre as providências tomadas e quer ouvir Glen Greenwald, do The Guardian, que entrevistou Snowden

 

“É preciso que fique claro para o povo brasileiro
se o governo da época teve conhecimento
dessa rede de espionagem”

A Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado aprovou, no início da tarde desta terça-feira (9), convites aos ministros da Defesa, Celso Amorim, das Relações exteriores, Antonio Patriota, das Comunicações, Paulo Bernardo, e da Secretaria de Segurança Institucional, José Elito Siqueira, para uma audiência pública que esclareça as providências que vêm sendo adotadas pelo Governo do Brasil em relação à violação de sigilo de comunicações eletrônicas e telefônicas de cidadãos brasileiros praticada pelo governo dos Estados Unidos e denunciada pelo ex-agente americano Edward Snowden.

Também foram convidados a participar da audiência o embaixador norte-americano em Brasília, Thomas Shannon, o correspondente do jornal britânico The Guardian, Glen Greenwald — um dos responsáveis pela revelação da espionagem, a partir de entrevistas feitas com Snowden — e um representante da empresa Google. A audiência pública será realizada nesta quinta-feira (11).

Ainda foi aprovado o Requerimento de Informações apresentado pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ) sobre a notícia de que, em 2002, agências americanas teriam montado em Brasília uma base de espionagem. O requerimento de Lindbergh é dirigido aos ministros da Justiça e da Defesa e ao chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. “É preciso que fique claro para o povo brasileiro se o governo da época teve conhecimento dessa rede de espionagem. Eu, sinceramente, espero que não”, afirmou o senador.

A CRE aprovou, ainda, um voto de censura ao governo norte-americano proposto pelos senadores Lindbergh e Roberto Requião (PMDB-PR) e

suplicy_09

  “Snowden prestou um serviço ao Brasil e a
  todas as nações onde esses direitos
  [ao sigilo e à privacidade] estão sendo
  violados”, afirmou Suplicy

uma moção apresentada por Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Eduardo Suplicy (PT-SP apoiando o pedido de asilo político feito por Edward Snowden ao governo brasileiro. “Snowden colocou sua vida em risco e provavelmente será perseguido pelo resto de seus dias para revelar esse esquema de espionagem que afeta milhões e milhões de cidadãos em todo o mundo”, afirmou Lindbergh Farias, defendendo a concessão de asilo ao ex-agente americano.

“Não tenho dúvida de que esse jovem americano vai entrar para a história como um defensor das liberdades democráticas”, avaliou Lindbergh. “Snowden prestou um serviço ao Brasil e a todas as nações onde esses direitos [ao sigilo e à privacidade] estão sendo violados”, lembrou Eduardo Suplicy.

Cyntia Campos

Leia mais:

Pinheiro defende investigação e penas duras para espionagem americana
 

Presidenta condena espionagem americana nas comunicações

Leia também