Lindbergh, líder da oposição, diz que prisão de Mantega é propaganda política

:: Da redação22 de setembro de 2016 14:22

Lindbergh, líder da oposição, diz que prisão de Mantega é propaganda política

:: Da redação22 de setembro de 2016

Lindbergh: escalada de arbitrariedades tem como alvo chegar ao ex-presidente LulaManifestando indignação pelo modo com que o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi detido na manhã de hoje pela Polícia Federal no hospital em que visitava a esposa, prestes a entrar numa cirurgia, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), líder da Oposição no Senado, divulgou a seguinte nota:

 

A prisão do ex-Ministro Guido Mantega constitui mais uma prova do esquema de ilegalidade e de propaganda política que caracteriza a Operação Lava Jato.

Os principais objetivos da campanha judicial, policial e midiática da Lava Jato, operação desencadeada e coordenada pelo Juiz Sergio Moro e pelos procuradores de Curitiba são: criminalizar o Presidente Lula, impedir que seja ele candidato a presidente nas eleições de 2018, desmoralizar o PT, caracterizá-lo como partido corrupto e destruí-lo como força política.

 

O ex-Ministro Guido Mantega foi preso no Hospital Albert Einstein no momento em que sua esposa iria iniciar uma cirurgia de caráter grave.

Mantega nunca se recusou a prestar esclarecimentos à Justiça, não se encontrava foragido da Justiça nem pretendia se colocar fora do alcance da Justiça.

Sua prisão em ambiente público, com aviso prévio aos meios de comunicação, sem necessidade, baseada em uma hipótese, ocorre no momento em que se desenrola a campanha eleitoral e demonstra o objetivo de criar comoção midiática e influir sobre as eleições.

 

O pedido de prisão teria sido feito em julho a Sergio Moro, que autorizou em agosto  e, convenientemente, somente agora foi efetuada.

As circunstâncias da prisão procuram caracterizar Guido Mantega, ex-Ministro do PT nos Governos Lula e Dilma, como indivíduo de alta periculosidade que teria o intuito e a capacidade de resistir ao mandado de prisão e que já seria culpado.

 

Os juristas e advogados brasileiros, assim como as lideranças e organizações sociais têm a obrigação de se pronunciar e de se organizar para enfrentar as reiteradas infrações à Lei cometidas por Procuradores Federais, por delegados da Polícia Federal e por Juízes, por ação ou omissão, contra os princípios básicos do Estado de Direito, da democracia e dos direitos individuais de todos os brasileiros.

 

Senador Lindbergh Farias

 

Líder da Oposição no Senado Federal

Leia também