Liderança da Bancada

Lindbergh, novo líder da bancada: “um pé no Congresso e outro nas ruas”

Para o novo líder da Bancada do PT, o país caminha para um impasse, exigindo que a atuação da bancada petista e da oposição tenha "um pé no Congresso e outro nas ruas"
:: Fernando Rosa8 de junho de 2017 16:19

Lindbergh, novo líder da bancada: “um pé no Congresso e outro nas ruas”

:: Fernando Rosa8 de junho de 2017

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) assumiu a liderança da Bancada do PT no Senado Federal nesta quinta-feira, escolhido pelos demais senadores, a quem agradeceu pela confiança. Lindbergh substitui a senadora Gleisi que foi eleita presidenta nacional do PT, em congresso realizado no final de semana, em Brasília. “O senador Lindbergh já é uma liderança destacada do nosso Partido, com uma forte atuação aqui no plenário da Casa. Então, fico muito feliz em indicá-lo”, afirmou a senadora Gleisi durante o registro da oficialização da nova liderança partidária.

Após ter sua indicação anunciada pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) no plenário do Senado, Lindbergh concedeu entrevista coletiva e falou ao vivo pelas redes sociais. Destacando que assume a liderança em “no momento de uma crise violentíssima”, Lindbergh afirmou que “aqui – no Senado – teremos um centro, que é barrar as reformas trabalhista e previdenciária”. Para ele, o país caminha para um impasse”, exigindo que a atuação da bancada petista e da oposição tenha “um pé no Congresso e outro nas ruas”. Lindbergh aproveitou a entrevista e o “live” para convocar a greve geral do dia 30 e seguir na campanha pelas eleições diretas.

FALA LINDBERGHO novo líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ) antecipa as estratégias definidas em relação à Reforma Trabalhista e comenta os desafios da bancada. Acompanhe:

Publicado por PT no Senado em Quinta, 8 de junho de 2017

 

Lindbergh citou recente pesquisa da CUT/Vox Populi para alertar que a correlação de forças na sociedade está mudando em favor do povo e da oposição. Segundo ele, diante do sofrimento com o desemprego, com a perda de direitos, as pessoas lembram que o país já foi melhor. “As pessoas lembram de Lula e daquele momento como um período de inclusão, em que a vida do povo melhorou”, diz ele. Em pronunciamento no plenário, Lindbergh afirmou que “Lula é quem pode nos tirar dessa crise; é quem pode nos tirar dela, se eleito Presidente e construir um novo caminho”, questionando a perseguição movida contra ele.

No plenário do Senado, o senador Paulo Paim (PT-RS) cumprimentou Lindbergh “que, por unanimidade, foi indicado pela nossa Bancada como Líder, e, o mesmo tempo, cumprimento também a Senadora Gleisi Hoffmann, que assumiu a Presidência Nacional do Partido”. O senador Jorge Viana (PT-AC), por sua vez, disse que “a sua militância, a sua luta política é muito importante para o nosso Partido, para a luta, para que o Brasil possa se reencontrar com a democracia, do nosso ponto de vista, com as eleições diretas”. “Então, eu o parabenizo e digo que me sinto absolutamente representado com você na Liderança do nosso Partido aqui no Senado”, conclui o senador acriano.

Leia também