Mandato coletivo e popular

Livro destaca frentes de atuação de Pimentel no Senado

Senador dedicou-se especialmente à aprovação de propostas que resultaram na implantação ou ampliação de políticas de desenvolvimento
:: Assessoria do senador José Pimentel18 de dezembro de 2018 15:56

Livro destaca frentes de atuação de Pimentel no Senado

:: Assessoria do senador José Pimentel18 de dezembro de 2018

A habilidade para o diálogo e a disposição para construir consensos são características importantes na atuação do senador José Pimentel (PT-CE), em oito anos de mandato. Essas marcas estão destacadas no livro José Pimentel – Um mandato coletivo e popular no Congresso Nacionaldivulgado no último dia 13 de dezembro.

Ao longo desse período, o senador comandou negociações delicadas e difíceis na busca do entendimento para superar os obstáculos. Como poucos, soube enfrentar as diferenças para alcançar os avanços mais importantes para o país e para a sociedade brasileira.

O senador dedicou-se especialmente à aprovação de propostas que resultaram na implantação ou ampliação de políticas de desenvolvimento que fizessem o país crescer, e, ao mesmo tempo, garantissem melhores condições de vida a todos os brasileiros, especialmente os mais pobres.

Entre os temas que mereceram atenção especial do senador, pode-se destacar as ações de convivência com a seca, os investimentos na agricultura familiar, o desenvolvimento econômico do país com foco especial no fortalecimento das microempresas, além do apoio às prefeituras. Pimentel também lutou contra a reforma da Previdência Social do governo Temer e apontou os prejuízos da proposta para os trabalhadores.

Convivência com a seca
A busca por alternativas de convivência com a seca, que tornassem menos penosa a vida dos nordestinos, especialmente os mais pobres, marcou os oitos anos de mandato de Pimentel no Senado. Sua atuação foi decisiva para enfrentar as consequências da seca no Nordeste, considerada a pior dos últimos 50 anos. Trabalhou também pelas obras de interligação das águas do rio São Francisco para garantir o pleno abastecimento de água para o Nordeste.

O senador foi, ainda, um dos principais articuladores da aprovação da Emenda Constitucional que estendeu, até 2028, o prazo para que recursos públicos em irrigação sejam prioritariamente investidos em projetos nas regiões Nordeste e Centro-Oeste (EC 89).

Agricultura familiar
O parlamentar nordestino, que teve na agricultura familiar sua primeira experiência de trabalho no núcleo doméstico, tem sua trajetória política marcada pela defesa dos interesses dos pequenos agricultores brasileiros.

Em 2013, o senador foi o relator, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da proposta de criação da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater). O projeto foi aprovado naquele mesmo ano, após negociações na Câmara dos Deputados e no Senado e virou lei (Lei 12.897/2013).

Micro e pequenas empresas
As micro e pequenas empresas foram tema recorrente no mandato. De 2011 a 2018, a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (LC 123/2006) passou por cinco atualizações. Em 2011, foi aprovada a Lei Complementar 139 que permitiu maior simplificação no sistema de registro, baixa e alteração de empresas; redução de carga tributária devido aos novos valores fixados para as faixas de enquadramento; e a autorização legal para o parcelamento de dívidas tributárias. A universalização do acesso ao regime simplificado de tributação veio em 2014.

Em 2017, o senador teve papel decisivo na aprovação do projeto que permitiu a negociação das dívidas das microempresas (PLC 164/2017). Pimentel foi o relator da proposta na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e no plenário do Senado. A matéria foi aprovada por unanimidade. No entanto, o texto foi vetado pelo presidente ilegítimo, Michel Temer, em janeiro de 2018. E o veto foi derrubado no Congresso.

Municipalismo
A defesa dos interesses dos municípios brasileiros também é uma das marcas da vida parlamentar de Pimentel. Entre as propostas de interesse dos municípios que tiveram apoio do senador, está o aumento do repasse da União ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), de 49% para 50%. A estimativa é de que, com o aumento de 1%, as transferências aos municípios via FPM possam chegar a R$ 5,6 bilhões em 2021.

Pimentel também apoiou o parcelamento de débitos previdenciários dos municípios.

Outra proposta que recebeu voto favorável do senador foi a que estabeleceu a prestação de contas simplificadas para os municípios de menor porte. Pimentel também votou favoravelmente ao no

Previdência Social
A defesa do sistema previdenciário brasileiro foi outra marca forte do trabalho de Pimentel no Senado. A experiência já acumulada com o tema, ao longo do mandato de deputado federal e como ministro da Previdência Social, permitiu, por exemplo, que o parlamentar contribuísse de forma decisiva para evitar a aprovação da reforma da Previdência do governo Temer, cuja proposta chegou à Câmara dos Deputados em dezembro de 2016 (PEC 287/2016).

Ganho real do salário-mínimo
Entre as mais importantes políticas adotadas pelos governos Lula e Dilma, destaca-se a que assegura o ganho real ao salário mínimo com base no crescimento do país, possibilitando um ganho real de 77% no período de 2002 a 2016, segundo dados do Dieese. Pimentel teve papel importante nesse processo quando exerceu o cargo de ministro da Previdência Social e, depois, como senador da República.

 

Onde ler: 
Site do mandato
www.josepimentel.com.br | Livro disponível no link: bit.ly/livro-pimentel-2018

Biblioteca Digital do Senado
www2.senado.gov.br/bdsf/item/id/551005

Leia também