Lula assina campanha da ONU contra violência de gênero

Rede lançada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, reúne formadores de opinião para apoiar uma mudança cultural

:: Da redação12 de março de 2013 20:09

Lula assina campanha da ONU contra violência de gênero

:: Da redação12 de março de 2013

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva formalizou, na última segunda-feira (11), sua adesão à Rede de Homens Líderes da campanha “Una-se – Pelo fim da violência contra as mulheres”, promovida pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon. A cerimônia de assinatura foi realizada na sede do Instituto Lula e contou com a presença de Dona Marisa Letícia e de diversas autoridades ligadas à luta pelo fim da violência contra a mulher.

 “Deveria ser um documento assinado no berço, quando se nasce. É quase uma coisa que deveria estar no nosso DNA”, afirmou Lula sobre o compromisso com o fim da violência contra a mulher. A Rede de Homens Líderes foi criada pelo secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, em 2010, e reúne homens que têm um papel de liderança importante no mundo, como explicou Rebecca Tavares, representante da ONU Mulheres no Brasil.

Rebecca comemorou a adesão de Lula, afirmando estar muito honrada com a presença do ex-presidente da República na rede.

Lula destacou a importância de se realizar e divulgar amplamente campanhas que esclareçam as mulheres os mecanismos que têm para denunciar seus agressores e da rede de proteção disponível. A secretaria de Políticas para as Mulheres da Prefeitura de São Paulo, Denise Dau, falou das primeiras ações da recém-criada secretaria, entre elas uma cartilha de informação para as mulheres sobre como agir em caso de violência.

A campanha de enfrentamento à violência de gênero reúne diversas agências e escritórios da ONU e pretende contribuir para prevenir e eliminar a violência contra mulheres e meninas em todas as partes do mundo. Ela procura envolver os homens nesse esforço conjunto especialmente os que se constituem em referência e podem inspirar outros homens a manifestarem-se contra este tipo de violência, desafiando estereótipos destrutivos e abraçando a igualdade. Além de Lula, já integram a rede o ex-primeiro ministro da Espanha, José Luis Zapatero, o arcebispo sulafricano e Nobel da Paz, Desmond Tutu e o escritor brasileiro e Mensageiro da Paz das Nações Unidas, Paulo Coelho.

Lula em rede de combate à violência contra mulher

Ex-presidente aderiu à Rede de Homens Líderes, do secretário-geral da ONU, que visa inspirar homens a manifestarem-se contra agressões

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou termo de adesão à Rede de Homens Líderes, da Campanha UNA-SE Pelo Fim da Violência contra as Mulheres, do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

A presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, participou da cerimônia de adesão, nesta segunda 11, bem como Rebecca Reichmann Tavares, representante da ONU Mulheres no Brasil. 

Ferramenta contra a violência

O evento da última segunda-feira no Instituto Lula fez parte da programação da ONU Mulheres em torno do Dia Internacional da Mulher. Na sexta-feira (8), a instituição, em parceria com a UNICEF e ONU-Habitat, lançou um aplicativo que dá acesso à Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher no Rio de Janeiro. A ferramenta é gratuita e pode ser instalada em celulares do tipo “smartphone” e computadores. Nela estão reunidas informações sobre o atendimento a mulheres e meninas vítimas de violência na cidade do Rio de Janeiro.

O objetivo é auxiliar a sociedade a conhecer cada um dos órgãos de assistência da rede, os locais de atendimento, as responsabilidades, como e em que momento acessá-los, como deve ser feito o encaminhamento de vítimas e o acompanhamento de cada caso nas áreas da Saúde, Segurança, Justiça e apoio psicológico.

Leia também