Mantega: “os investimentos mantiveram o crescimento do PIB”

Para ministro da Fazenda, isso é indicativo da melhora na qualidade da economia, mostrado pela alta na produção de bens de capital. 

:: Da redação29 de maio de 2013 18:49

Mantega: “os investimentos mantiveram o crescimento do PIB”

:: Da redação29 de maio de 2013

“A boa notícia é que uma parte das importações
foi de bens de capital, para ajudar no aumento
dos investimentos”

 O ministro da Fazenda, Guido Mantega, avaliou, nesta quarta-feira (29), que a economia brasileira está crescendo de maneira mais estável e segura. O que está puxando o Produto Interno Bruto (PIB) para cima são os investimentos, o que, segundo explicou, representa uma alta mais consistente, uma vez que os investimentos são o carro-chefe da economia. Neste trimestre, o PIB, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo País, cresceu 0,6% em relação ao 4º trimestre do ano passado.

Diante dos números, Mantega informou que o Governo deverá fazer uma revisão para baixo na previsão do PIB de 2013, previsto anteriormente para 3,5%. “Certamente, nós vamos rever quando fizermos o próximo relatório bimestral e certamente será para baixo. Não posso ver os dados. Mas os dados do segundo trimestre são muito bons”, disse. Mantega destacou que possui dados sobre o crescimento do transporte de carga na estrada e a produção de papelão ondulado, que segundo ele são bons indicadores.

No entanto, o ministro destacou a qualidade no PIB e afirmou que o resultado mostra que os estímulos dados pelo Governo para o investimento desde 2011 vêm surtindo efeito. “O investimento deixou para trás o consumo, que cresceu menos neste primeiro trimestre”, disse. Ou seja, se há melhora nos investimentos e redução no consumo, o entendimento do Governo é de que os empresários apostam na economia brasileira. O ministro apontou ainda que o que sustentou a demanda no primeiro trimestre do ano foi a formação bruta de capital fixo, que teve alta de 4,6%.

“A boa notícia é que uma parte das importações foi de bens de capital, para ajudar no aumento dos investimentos”, afirmou. “E ainda não entraram em ação as concessões, que irão elevar muito os investimentos no País”, completou.

 

O ministro considerou “excepcional” o crescimento de 9,7% da agropecuária no 1º trimestre, o setor que teve maior destaque segundo os dados divulgados pelo IBGE.“Esse crescimento se deveu sobretudo à recuperação em relação à seca do ano passado e a um aumento da produtividade da agropecuária brasileira.”

Em entrevista aos jornalistas, Mantega disse que setores como a agropecuária e a indústria de transformação dão sinais positivos mesmo com a crise internacional.  E afirmou que os resultados adversos da economia mundial significam recuo nas nossas exportações, mas, quando se avalia o resultado da venda de commodities para o exterior, o Brasil tem bons dados, uma vez que “com crise ou sem crise, os países têm que comprar comida”.

Embora a crise em outros países tenha dificultado as exportações nacionais, principalmente de produtos manufaturados (industrializados), na comparação com outros países, ainda segundo o ministro da Fazenda, o Brasil foi um dos “poucos países” que manteve o crescimento. “Como crescemos mais do que boa parte dos países, importamos mais e exportamos menos”, acrescentou.

“Os países emergentes, com o México e Chile, tiveram desaceleração. Tivemos crescimento maior do que os países da Zona do Euro. Os Estados Unidos foram um dos poucos países com crescimento maior no primeiro trimestre do que no quarto. Na comparação internacional, diria que o Brasil está bem”, concluiu ele.

Sobre a indústria, lembrou que, no geral, houve uma queda de 0,3%, puxada para baixo pela indústria extrativa mineral. Em compensação, a indústria de transformação teve crescimento de 0,3%. “A indústria extrativa responde mais ao mercado internacional, à queda de preço dos produtos minerais e à diminuição do volume exportado”, esclareceu Mantega. “Já a indústria de transformação responde mais ao mercado interno, portanto ela está em uma trajetória de recuperação”, completou.

Ele também frisou que os dados relativos ao segundo trimestre mostram que “a atividade econômica acelerou em abril” e também em maio. O ministro citou como exemplo números de produção de transporte de carga e de papelão ondulado, que são “indicadores positivos”.

Perguntado sobre a reação da presidente Dilma Rousseff ao dados do PIB, Mantega disse que a presidente ficou muito contente com o desempenho do investimento. Ainda de acordo com o ministro, o investimento será alavancado nos próximos anos pelos programas de concessão de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

Cálculo do PIB
O Produto Interno Bruto (PIB) representa a soma do valor de tudo o que é produzido no país durante determinado período. Na conta, entram todos os tipos de bens e serviços, mas não entram no cálculo os bens já existentes. O valor do PIB representa o quanto a economia do país produziu.

Com informações do Ministério da Fazenda e das agências de notícias

Leia mais:

PIB do Brasil mantém crescimento no 1º trimestre

Agropecuária foi o destaque do setor produtivo no primeiro trimestre

 

Leia também