Marcha das centrais sindicais será realizada nesta quarta

:: Da redação5 de março de 2013 14:58

Marcha das centrais sindicais será realizada nesta quarta

:: Da redação5 de março de 2013

Dentro da pauta de reivindicações das centrais sindicais, está a discussão da Proposta de Emenda Constitucional que prevê redução da jornada de trabalho e tramita na Câmara dos Deputados.

 

Marcha tem como tema o ‘Desenvolvimento,
Cidadania e Valorização do Trabalho’

As centrais sindicais estarão unidas e mobilizadas por ‘Desenvolvimento, Cidadania e Valorização do Trabalho’, discutindo com o Congresso Nacional e Governo Federal uma pauta de reivindicações em defesa dos empregos, salários e trabalho digno.

A Marcha das centrais e movimentos sociais ocorrerá na próxima quarta-feira (6). A concentração está programada para às 7h, no estacionamento do Estádio Mané Garrincha, de onde os trabalhadores sairão em caminhada até o Congresso Nacional.

Dentre os itens da pauta das centrais sindicais, está a discussão da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 393/01), que tramita na Câmara dos Deputados e prevê a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução de salários.

“Esta Marcha é um momento para fazermos avançar o projeto no Congresso, abrindo uma discussão na sociedade do que significa a redução na jornada de trabalho, oportunidade para gerarmos mais e melhores empregos. Trabalhador com renda significa mais consumo e economia em movimento”, afirmou Vagner Freitas, presidente nacional da CUT.

Tão importante quanto à melhoria na qualidade de vida, existe a possibilidade de geração de novos empregos. Estimativas do Dieese apontam que mais de 2,2 milhões de novos postos de trabalho seriam gerados.

Para Expedito Solaney, secretário nacional de Políticas Sociais da CUT, “as centrais sindicais quando tomam a iniciativa de fazer uma marcha desta envergadura, pautando o poder Legislativo, Executivo e Judiciário, dão um impulso importante para garantir novas conquistas”.

“A pauta tem alguns pontos prioritários onde estão contemplados outros eixos transversais. Redução da jornada, regulamentação da Convenção 151, ratificação da Convenção 158, fim do fator previdenciário, saúde, educação, tudo isso é pano de fundo ao debate de que se o Brasil encara verdadeiramente a agenda do trabalho decente estará comprometido com o fim do trabalho escravo, fim do trabalho infantil, aprovação da PEC 57-A, garantia de condições dignas de trabalho para pessoas com deficiência, respeito à Lei de Cotas”, enumerou.

Ainda para esta quarta-feira, está previsto um encontro da presidenta Dilma Rousseff com os representantes das centrais, quando os sindicalistas entregarão a presidenta uma pauta de reivindicações.

 

Serviço:

Marcha da Classe Trabalhadora

Dia: 6 de março

Horário: 7h – concentração no estacionamento do Estádio Mané Garrincha

10h – início da caminhada até o Congresso Nacional

12h – ato Político em frente ao Congresso Nacional

Com informações da CUT Nacional

Foto: www.cut.org.br

Leia mais:
CUT anuncia que Dilma vai receber trabalhadores da Marcha a Brasília 

Paim: trabalhadores não vão aceitar flexibilização na CLT


Paim espera que reunião de Dilma com CUT gere conquistas históricas
 

Leia também