MDS lança prêmio do Brasil Sem Miséria e busca mais parceiros

:: Da redação19 de setembro de 2012 17:26

MDS lança prêmio do Brasil Sem Miséria e busca mais parceiros

:: Da redação19 de setembro de 2012

Estabelecimentos comerciais do varejo e atacado que comercializam produtos de agricultores familiares e de povos e comunidades tradicionais que vivem em situação de extrema pobreza serão certificados pelo Governo Federal

Certificar e reconhecer as empresas que comercializam produtos oriundos de povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares. Esse é o objetivo do Prêmio Empresa Parceira do Plano Brasil Sem Miséria, lançado nessa terça-feira (18/09) pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), durante a 46ª Convenção da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Durante a solenidade, a secretária nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Maya Takagi, anunciou em conjunto a primeira edição do prêmio que leva em conta as ações de estímulo à aquisição de produtos da agricultura familiar e de povos e comunidades tradicionais. “A ideia é reconhecer e divulgar a prática de empresas do setor do comércio varejista e atacadista voltadas para a aquisição desses produtos e incorporar o público do Brasil Sem Miséria como fornecedor de matéria-prima ou produtos acabados”, destacou Maya. Além disso, acrescentou a secretária, o prêmio visa diversificar os produtos e manter o caráter regional, com identificação de origem, selo da agricultura familiar e que tenham diálogo com o consumidor em benefício de todas as famílias brasileiras.

Trabalho e renda

A Abras foi a primeira instituição privada a aderir ao Plano Brasil Sem Miséria, com objetivo de gerar trabalho e renda no campo, com a compra e a comercialização de produtos de agricultores familiares extremamente pobres que participam do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), e de contratar participantes dos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Além de considerar a parceira um sucesso, o presidente da Abras, Susumu Honda, parabenizou a iniciativa do Governo. “O trabalho realizado pelos dois ministérios traz o produto em condições de ser exposto em nossas gôndolas. Isso ajuda muito, porque você tem um processo mais rápido de aquisição dessas mercadorias. A continuidade dessa parceria com certeza vai ocorrer, porque temos demanda, mas a gente precisa ter persistência.” Segundo ele, o prêmio é importante porque a rede supermercadista tem a sua contribuição reconhecida pelo Governo Federal.

A secretária Maya mencionou, durante a abertura da convenção, que a parceria com a Abras é da maior importância para a superação da miséria no Brasil. “Com esse acordo, já temos muitos resultados. Vários produtos estão nas prateleiras (dos supermercados).” Segundo ela, o acordo também objetiva proporcionar capacitação de mão de obra urbana e qualificar a gestão dos empreendimentos da agricultura familiar para colocar no mercado um produto cada vez melhor, com condições justas para ambos os lados, permitindo que todos ganhem.

O Governo Federal está atuando para fazer novos contatos com os empresários, disponibilizando o acesso aos produtos de agricultores familiares e de povos e comunidades tradicionais, além de informações sobre políticas públicas, programas e instrumentos de fortalecimento e valorização desses públicos.

O Governo Federal quer ampliar as relações com as 27 associações estaduais de supermercados e com os diretores das redes do setor. Há informações de 33 empreendimentos da agricultura familiar com experiência em comercialização, além de material promocional para valorizar a exposição e a venda desses produtos nos supermercados.

A convenção da Abras reúne cerca de 600 líderes das principais redes de supermercados do país, das associações do setor e das centrais de negociações. O segmento é responsável pela comercialização de mais de 80% dos produtos alimentícios, de higiene, limpeza e congêneres em todo o país. Os supermercados geram cerca de 960 mil empregos diretos, além de outros 2 milhões de postos indiretos, em 82 mil estabelecimentos de todo o Brasil.

Com informações da Ascom/MDS

Leia também