Meio Ambiente levará educação ambiental a famílias de produtores rurais

Convênios preveem fortalecimento da agricultura familiar, da agroecologia e regularização ambiental

:: Da redação15 de maio de 2014 15:25

Meio Ambiente levará educação ambiental a famílias de produtores rurais

:: Da redação15 de maio de 2014

Agricultores familiares receberão capacitação sobre
cuidados com o meio ambiente, com os recursos
hídricos e a recuperação de áreas degradadas

O Ministério do Meio Ambiente assinou dez convênios para a oferta de educação ambiental a pequenos produtores rurais. Ao todo, serão beneficiadas 4.210 famílias de todas as regiões do País. A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu 2014 para celebração do Ano Internacional da Agricultura Familiar em reconhecimento à contribuição desse segmento produtivo para a segurança alimentar e a erradicação da pobreza no mundo.

Segundo o ministério, serão investidos R$ 13 milhões para o desenvolvimento de projetos comunitários educativos e o fortalecimento da agricultura familiar, a agroecologia e a regularização ambiental das propriedades rurais. Cada convênio receberá de R$ 500mil a R$ 750 mil.

O edital para a seleção das instituições convenentes, lançado em 2013, motivou a apresentação de 254 propostas. Desse total, somente 19 foram selecionadas pelo Conselho Deliberativo do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA). De acordo com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a escolha levou em conta o processo de capacitação e a perspectiva de desenvolvimento sustentável proporcionada pelos projetos.

“Esses projetos são realmente os melhores. Eles asseguram todo um processo de capacitação e qualificação dos familiares em torno do cuidado com o meio ambiente, com os recursos hídricos e a recuperação de áreas degradadas, buscando aumentar a produtividade de alimentos e buscando também diminuir o uso de agrotóxicos, já que, infelizmente, o Brasil hoje é o campeão mundial dessa marca”, explicou a ministra.

O evento para a assinatura dos convênios, em Brasília, nesta quinta-feira (15), teve a presença dos prefeitos de Piquet Carneiro (CE), Guarapuava (PR), Maracanaú (CE) e representantes da prefeitura de Sinop (MT), do Instituto Socioambiental de São Paulo, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e das Secretarias de Meio Ambiente de Mato Grosso e da Bahia.

 

Agência Brasil

Leia também