Vaza Jato

Mentiras de Moro exigem esclarecimentos, cobra Humberto

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirma que as denúncias contra Moro são graves e seriam base para cassação, fosse ele um parlamentar
:: Cyntia Campos25 de junho de 2019 12:30

Mentiras de Moro exigem esclarecimentos, cobra Humberto

:: Cyntia Campos25 de junho de 2019

O Senado Federal precisa avaliar as providências a serem tomadas em relação à conduta do ministro da Justiça de Bolsonaro, o ex-juiz Sergio Moro, que na semana passada, em depoimento a uma comissão da Casa, “mentiu abertamente aos senadores e sonegou informações”.

A avaliação é do Líder do PT, senador Humberto Costa (PE), que considera “adequada” a proposta de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o suposto conluio entre julgador (Moro) e acusadores (procuradores) na Operação Lava Jato. “O Senado precisa amadurecer essa ideia de CPI e tomar uma posição o mais rápido possível”.

Na semana passada, Moro foi ouvido pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado sobre as denúncias de conluio publicadas no site noticioso The Intercept Brasil.

“Cassação”
No Senado, os críticos da conduta do ministro da Justiça de Bolsonaro estão em todos os quadrantes do espectro político. O presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) avalia que já haveria elementos para a cassação de Moro, se ele fosse um parlamentar, se as conversas reveladas pelo The Intercept Brasil forem verdadeiras.

“Eu concordo com o senador Alcolumbre”, afirma Humberto Costa. “E está mais claro, a cada desdobramento, que nem o ministro Sergio Moro nem os procuradores da Lava Jato fazem uma contestação absoluta das mensagens divulgadas. Apenas sugerem que poderia ter havido alguma adulteração”, aponta o líder petista.

“Ultrapassou limite ético”
Na noite da última segunda-feira, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que “o ministro Sergio Moro ultrapassou o limite ético” ao se relacionar com os procuradores da Operação Lava Jato enquanto era juiz do caso em Curitiba. “Em sendo verdade, são muito graves. Muito graves” [as revelações do Intercept], avaliou Alcolumbre.

As declarações de Alcolumbre foram feitas a jornalistas de diversos veículos de imprensa, durante um jantar promovido pelo jornal digital Poder360.

“Se fosse um deputado ou um senador (no lugar de Moro), ele já estava cassado, preso e nem precisava provar se tinha hacker ou não”, afirmou o presidente do Senado.

Leia também