Método Lava Jato

Mídia internacional condena abuso de Moro contra Glenn

O ex-juiz Sergio Moro e atual ministro da Justiça repete métodos da Lava Jato e aciona PF e Coaf contra Glenn Greenwald
:: Da redação3 de julho de 2019 12:01

Mídia internacional condena abuso de Moro contra Glenn

:: Da redação3 de julho de 2019

“Se for confirmado que a PF, subordinada a Sergio Moro, pediu ao Coaf um relatório das atividades financeiras de @ggreenwald, jornalista que provou a parcialidade de Moro na #VazaJato, é um dos maiores ataques à liberdade de imprensa já feitos. E um total abuso de poder”, afirmou a jornalista Eliane Brum, colunista do jornal espanhol El País.

Na audiência realizada ontem, na Câmara dos Deputados, o ex-juiz e atual ministro ds Justiça, Sergio Moro, não respondeu se a Polícia Federal F solicitou ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras ) análise de contas de Glenn Greenwald. A informação foi publicada pelo Antagonista durante a sabatina.

Se confirmada a investigação, a situação é muito grave e mostra uma perseguição do ministro ao editor do site The Intecept, que está revelando as fraudes judiciais da Operação LavaJato. A ação do Coaf configura violação à Constituição e atentado à liberdade de imprensa. O caso já ganhou repercussão internacional.

O correspondente do diário britânico The Guardian na América Latina, Tom Phillips comentou no Twitter: “Assustador. O tipo de coisa que você espera de Xi Jin Ping, na autoritária China, não em uma das maiores democracias”.

A organização Freedom of the Press Foundation soltou nota denunciando o cerco do ministro: “Não é apenas um ataque ultrajante à liberdade de imprensa, mas um grosseiro abuso de poder”, pontuou.

A imagem de herói de Moro segue trincada na mídia internacional. O jornal francês Le Monde descreve “o agora ministro do presidente de extrema direita” como “herói caído da anticorrupção”.

O diário inglês The Independent, em texto de Benjamin Fogel, cita a ascensão de Bolsonaro como “legado” da Lava Jato, e publica: “E foi Moro, uma figura partidária de direita com ilusões messiânicas, disposta a acabar com o Estado de Direito em busca de seus objetivos, que desempenhou o papel principal de colocá-lo lá”.

O americano HuffPost destaca em manchete que a “Superestrela Anticorrupção do Brasil encara seu próprio escândalo”. O site aponta que o ministro é protagonista do que “poderia ser um roteiro de Hollywood sobre os perigos do excesso de ambição e de vaidade”.

L’Humanité informa que “o caso Lula está deflacionando”, comenta que um tribunal absolveu o ex-presidente da acusação de obstrução de Justiça e lembra que as revelações do Intercept esvaziou a “conspiração políticolegal” que o mantém preso há um ano.

Em nota conjunta, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos (ONU) condenam as “ameaças, desqualificações e intimidações” a Greenwald.

Com Assessoria de Comunicação do Senador Jean Paul

Leia também