Ministério da Saúde aumenta controle sobre SAMU

:: Da redação10 de abril de 2013 15:22

Ministério da Saúde aumenta controle sobre SAMU

:: Da redação10 de abril de 2013

Todas as ambulâncias devem ser cadastradas no prazo de 60 dias. A medida tem como objetivo evitar que ambulâncias fiquem paradas

Portaria do Ministério da Saúde, publicada nesta terça-feira (09) no Diário Oficial da União (DOU), estabelece o prazo de 60 dias para que gestores de todos os municípios cobertos pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) comecem a cadastrar seus veículos e Centrais de Regulação das Urgências. A medida visa aumentar a capacidade de controle do Ministério com relação aos serviços oferecidos pelo SAMU 192.

“Com este cadastro saberemos a produção do SAMU em todo País. Os gestores locais de saúde vão ter que demonstrar o funcionamento exato do serviço. Na prática, significa que as ambulâncias paradas não vão continuar recebendo recursos federais”, afirmou o Secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães.

São 2.528 ambulâncias do SAMU, atendendo
mais de 70% da população brasileira, o que
garante uma cobertura de 135 milhões de brasileiros

Além do cadastro, os gestores terão que informar, mensalmente, ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) sua produção. Os municípios que não atualizarem o banco de dados e não fizerem o registro sistemático da produção no sistema oficial do Ministério da Saúde por mais de três meses consecutivos, terão suspensos os repasses para custeio das Unidades Móveis do SAMU 192 e Centrais de Regulação das Urgências sem registro da produção. Assim que os gestores locais atualizarem o cadastro e voltarem a registrar sistematicamente a produção, o repasse de recursos será normalizado.

Atualmente, existem 2.528 ambulâncias do SAMU atendendo mais de 70% da população brasileira, o que garante uma cobertura de 135 milhões de brasileiros. No ano passado o Ministério investiu R$ 526.9 milhões na área.

Atendimento
A Rede de Atenção às Urgências e Emergências visa articular e integrar todos os equipamentos de saúde para ampliar e qualificar o acesso humanizado e integral aos usuários que necessitam dos serviços de saúde de forma ágil e oportuna. A Rede de Urgências é pensada de forma integrada e coloca à disposição da população serviços mais próximos de sua residência.

Com as Centrais de Regulação Médica das Urgências do SAMU 192, o Ministério da Saúde trabalha na organização da estrutura disponível. Ao discar o número 192, o cidadão estará ligando para uma central de regulação, que conta com profissionais de saúde e médicos treinados para dar orientações de primeiros socorros por telefone. São estes profissionais que definem o tipo de atendimento, unidade móvel e equipe adequada a cada caso.

Quando uma unidade móvel do SAMU 192 é enviada para o atendimento, os profissionais de saúde já sabem para onde levarão o paciente. É o fim da peregrinação à procura de um leito, com a unidade móvel buscando onde deixar o paciente. Ou seja, a Central de Regulação das Urgências realiza o direcionamento para o serviço mais próximo e adequado, assim a equipe que está na unidade móvel ganha tempo (diminui o tempo/resposta), o que é crucial no atendimento às emergências. O SAMU 192 atende pacientes na residência, no local de trabalho, na via pública, ou seja, onde o usuário estiver, com equipe treinada, salvando vidas e diminuindo sequelas.

Agência Saúde

 

Leia também