Ministro do Esporte garante: não há por que temer a Copa do Mundo

:: Da redação15 de maio de 2014 16:33

Ministro do Esporte garante: não há por que temer a Copa do Mundo

:: Da redação15 de maio de 2014

Aldo Rebelo, durante audiência pública, listou obras e minimizou críticas

Para Rebelo, Copa antecipou obras que só
aconteceriam em futuro distante

“O Brasil já fez coisas muito mais importantes e difíceis que a Copa do Mundo. Então, é claro que fará o evento. Não há por que o pânico”. Assim o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, resumiu sua confiança na organização do evento e na solução dos maiores problemas ainda apontados pela mídia mundial.

Rebelo esteve nesta quinta-feira (15), na Comissão de Educação do Senado. O ministro disse que a Copa será oportunidade fantástica para o Brasil se mostrar ao mundo. “Um estudo aponta que o evento tem potencial para gerar 3,6 milhões de empregos e aumentar em 0,4% o Produto Interno Bruto anual do Brasil até 2019”, assegurou, enfatizando que os bons resultados também devem incluir aumento de arrecadação de impostos e do volume de negócios.

Para o ministro, apesar da má vontade da grande mídia, que aponta atrasos e problemas, a Copa antecipou obras de mobilidade urbana que só aconteceriam num futuro bem distante. “O veículo leve sobre trilhos (VLT) de Cuiabá, por exemplo, foi antecipado em pelo menos trinta anos”, disse.

Rebelo admitiu que há problemas com algumas obras, mas deixou claro que os testes feitos em várias cidades comprova a viabilidade do torneio. Em Belo Horizonte, o BRT começa a se consolidar como alternativa para a mobilidade urbana.

O Mineirão, palco da cidade para seis jogos, passou por testes e está pronto. O Aeroporto de Confins, concedido à iniciativa privada, está em reforma, mas a estrutura existente é considerada suficiente.

Outro bom exemplo é Brasília, onde Píer Sul do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek foi inaugurado, assim como a obra que agiliza o acesso do terminal ao centro da cidade. O Píer Norte está previsto para o fim deste mês. Os centros móveis de atendimento ao turista e os centros de comando e controle de segurança já foram entregues. O Estádio Nacional recebe as estruturas temporárias para as sete partidas da Copa. E a área central passa por reformas para facilitar o acesso de turistas à Torre de TV, um dos principais pontos turísticos de Brasília.

Fortaleza, primeira sede a inaugurar um estádio para a Copa, espera para 4 de junho a entrada em operação do Terminal de Passageiros do Porto do Mucuripe. A Secretaria de Copa prevê que o veículo leve sobre trilhos estará pronto para o Mundial de 2014 e que as obras de mobilidade no entorno da arena sejam finalizadas até o fim de maio.

Locais
A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), disse que existem problemas locais. “O que não significa dizer que as obras da Copa não ficarão prontas”, observou. A parlamentar brincou, comemorando a construção da Arena da Amazônia: “é o estádio mais bonito do Brasil”, disse.

Também em Manaus, o Aeroporto Eduardo Gomes passou por remodelação e várias áreas já foram entregues. Após a conclusão, o terminal mais que duplicará de tamanho, passando de 39 mil m² para mais de 97 mil m². A capacidade operacional sairá de 6,4 milhões de passageiros por ano para 13,5 milhões.

Paz
O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) fez apelo pela paz no evento. Sobre os resultados econômicos e financeiros do evento, Suplicy disse que eles podem ser o caminho para que as demandas daqueles que protestam contra o evento, pedindo investimento em outras áreas, como melhoria no transporte público, sejam atendidas. “Tenho a certeza de que a Copa poderá significar o atendimento dessas demandas no futuro”, disse.

Giselle Chassot, com informações do Portal da Copa
 

Leia mais:

Turistas devem gastar R$ 6,7 bilhões durante a Copa do Mundo

Site oficial da Copa derruba mito sobre a construção de estádios
 


Leia também