Internacional

Movimentos populares vão realizar BRICS dos Povos

Cerca de 300 lideranças populares e pesquisadores do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul vão debater a crise econômica e política, o imperialismo, a solidariedade internacional e a integração dos povos
:: Da redação4 de novembro de 2019 16:04

Movimentos populares vão realizar BRICS dos Povos

:: Da redação4 de novembro de 2019

Movimentos populares, sindicatos e partidos políticos vão realizar em Brasília, nos dias 11 e 12 de novembro, dois dias antes da “Cúpula dos BRICS”, o seminário BRICS dos Povos. O objetivo é reunir representantes dessas organizações, além de pesquisadores dos cinco países – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – para debater temas comuns relacionados com o atual contexto internacional.

Entre os temas que serão colocados em pauta estão imperialismo, crise econômica e política, solidariedade internacional e integração dos povos. A expectativa é que o evento reúna 300 pessoas. Entre os confirmados estão representantes do movimento “NUMSA” (África do Sul), Safai Karmachari Andolan (Índia) e da Academia de Ciência Russa.

As lideranças dos movimentos populares alertam para o teor superficial do encontro dos presidentes.

“Tememos que as pautas sejam apenas meros acordos comerciais e de articulação financeira de projetos a serem financiados pelo Banco dos BRICS. Queremos aproveitar o contexto desta presença para colocar na pauta outros temas que interessam aos povos, às forças populares e extrapolam os temas governamentais”, destaca João Pedro Stédile, da direção nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Um dos eixos do seminário é debater também o avanço das forças conservadoras que têm acumulado vitórias no contexto internacional. Com destaque para os países que compõem os BRICS como África do Sul, Brasil e Índia que no último período elegeu presidentes ultraconservadores.

Nalu Faria, da direção nacional da Marcha Mundial das Mulheres, aponta que, diante dos reveses que a classe trabalhadora tem sofrido o momento é de buscar a unidade internacional. “Esse momento é muito crucial e a nossa organização, a nossa capacidade de construir unidade, de construir força coletiva, não só em cada país, mas de forma mundial. Queremos construir uma luta de perspectiva anticapitalista”, afirmou.

Programação

11/11/2019 – segunda-feira

Mesa 1: Imperialismo, geopolítica internacional, o papel dos BRICS e dos povos

Mesa 2:  Crise econômica, social e ambiental e as alternativas populares de desenvolvimento

12/11/2019 – terça-feira

Mesa 3:  Crise Política Internacional e a luta popular

Mesa 4: Desafios do internacionalismo, da solidariedade e da integração dos povos

Seminário BRICS dos Povos, 11 e 12 de novembro de 2019, Brasília – DF

Mais informações: Marina Selerges (11) 95028-6789 (Assessoria de Comunicação)

Leia também