Na mídia: revistas revelam esquema de corrupção no governo paulista

"Pelo menos, R$ 50 milhões”. Este é o valor que teria deixado de ser investido no transporte público paulista para engrossar as contas de gestores tucanos. 

:: Da redação24 de julho de 2013 17:45

Na mídia: revistas revelam esquema de corrupção no governo paulista

:: Da redação24 de julho de 2013

propinoduto_capa_istoe“Pelo menos, R$ 50 milhões”. Este é o valor que teria deixado de ser investido no transporte público paulista para engrossar as contas bancárias de gestores tucanos, segundo a manchete de capa da revista Istoé do último fim de semana. A revista teve acesso a documentos que comprovam a existência de uma rede criminosa, criada no início da hegemonia tucana a frente do governo de São Paulo com Mario Covas, que utiliza paraísos fiscais, empresas de fachada e fraudes em licitações para desviar dinheiro de obras do metrô e dos trens metropolitanos.

De acordo com a reportagem “O esquema saiu dos trilhos”, há cinco anos o propinoduto é investigando por autoridades internacionais e brasileiras e está avançado graças à cooperação da empresa alemã Siemens, em troca de imunidade administrativa e criminal.

A última edição da revista Carta Capital também repercutiu a denúncia na matéria “A farra dos trilhos”. A semanal revela que a manipulação das licitações é mantida há mais de 20 anos.  Entre as companhias delatadas estão as subsidiárias de gigantes da indústria de transportes, como a francesa Alstom, a espanhola CAF, a canadense Bombardier e a japonesa Mitsui.

Confira a íntegra da matéria da Istoé – a Carta Capital não disponibiliza as matérias da revista no site:

O esquema saiu dos trilhos

 

 

Foto: Agência Brasil

Leia também