Na mídia: Valor Econômico mostra redução da miséria no Brasil

Jornal traz na edição desta sexta matérias especiais sobre a redução da desigualdade no Brasil. Leia a reportagem “Das mazelas às escolas”.

:: Da redação1 de março de 2013 19:01

Na mídia: Valor Econômico mostra redução da miséria no Brasil

:: Da redação1 de março de 2013

O jornal Valor Econômico mostra, nesta sexta-feira (01), como o Programa Brasil sem Miséria modificou vida de milhares de brasileiros. No primeiro caderno, resgata o estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) , já divulgado pelo site da Liderança do PT, e que mostra como ,entre todos os países que integram os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) o Brasil é o único que está conseguindo diminuir as desigualdades entre ricos e pobres.

O jornal vai além, no caderno de final de semana, mostrando histórias de gente que viveu em condições de absoluta miséria e agora tem acesso a, pelo menos, o mínimo necessário para manter as condições de dignidade. A matéria que trata do tema “Das mazelas às escolas” visita uma família do Piauí e atesta que o estado lidera a redução do índice de extrema pobreza entre 1989 e 2009 quando nada menos que 44% dos cidadãos considerados extremamente pobres abandonaram essa condição. A matéria não menciona, mas vários dos programas citados foram implementados no Piauí pelo atual líder do PT no Senado, Wellington Dias, governador do estado por duas vezes.

O texto seguinte, “Novos desafios são mais exigentes” coincide com a perspectiva traçada na entrevista do presidente do PT, Rui Falcão, ao site da Liderança. A reportagem ouve o economista da Universidade Federal do ABC Arilson Favareto e resume o que já se mostrou um entendimento comum do Governo: “À medida que se avança na transferência dos valores mínimos, outros problemas vão surgindo. A agenda precisa acompanhar essa evolução”, diz Favareto.

Leia a íntegra uma das reportagens na página do Valor Econômico, aberta para quem não é assinante do jornal.

Leia mais:
Lula: “podemos enfrentar qualquer debate”

Sim, o Brasil é um país melhor – Por Wellington Dias

Leia também