Tsinami da educação

Tsusami30M: 150 cidades já mobilizadas

Estudantes, professores e trabalhadores voltam às ruas neste 30 de maio para protestar contra o arrocho de verbas nas universidades e institutos federais imposto por Bolsonaro
:: Da redação29 de maio de 2019 13:14

Tsusami30M: 150 cidades já mobilizadas

:: Da redação29 de maio de 2019

Nesta quinta-feira (30), estudantes, professores e trabalhadores ligados à educação retornam às ruas do Brasil contra corte de verbas nas universidades e institutos federais, pretendidos pelo governo Jair Bolsonaro. A manifestação já conta com cerca de 150 cidades mobilizadas, seja por secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores ou trabalhadores.

Confira a relação das cidades no país e exterior

A Bancada de Senadores do PT está convocando a população desde a segunda-feira nas suas redes sociais, e também da Liderança. O senador Jaques Wagner (PT-PE) saudou os estudantes pelo sucesso da mobilização do dia 15 e convocou todos para repetir a mobilização nesta quinta-feira. O líder da bancada, senador Humberto Costa (PT-PE) destacou que as ruas devem apontar os rumos do país, hoje submetido ao desgoverno de Bolsonaro.

Jaques Wagner convoca para o #30M

#Dia30VaiSerMaior Dia 15 de maio foi fantástico, foi histórico! Agora é hora de todxs ocuparem as ruas novamente em defesa do ensino público, das universidades e dos institutos federais. No dia 30, vamos dizer sim à #Educação e não aos cortes. #30M

Publicado por PT no Senado em Quarta-feira, 29 de maio de 2019

 

“Estive na Câmara dos Deputados em uma audiência pública, na última semana, para tentar argumentar com o ministro da Educação contra os cortes, mas ele se recusa a nos ouvir. Então será pelas ruas que ele vai ter que entender. No dia 15 levamos mais de dois milhões de pessoas para as ruas e o próximo dia 30 tem tudo para repetir esse público”, disse a presidenta da UNE, Marianna Dias.

As manifestações deste 30 de maio também colocam em pauta a reforma da Previdência e a greve geral, marcada pelas centrais sindicais, no dia 14 de junho. A CUT e entidades filiadas, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) aderiram à mobilização.

A programação nas capitais 

– Rio Branco-AC: Praça da Revolução, centro, a partir das 11h
– Maceió-AL: Praça do Centenário, bairro do Farol, a partir das 13h
– Macapá-AP: Praça da Bandeira, no centro, a partir das 15h
– Manaus-AM: Praça da Saudade, no centro, a partir das 15h
– Salvador-BA: Praça do Campo Grande, próximo ao Teatro Castro Alves, a partir das 10h
– Fortaleza-CE: Praça da Gentilândia, bairro Benfica, às 14h
– Brasília-DF: Museu Nacional da República, a partir das 10h
– Vitória-ES: Teatro da Universidade Federal do Espírito Santo,  na Avenida Fernando Ferrari, às 16h30
– Goiânia-GO: Praça Universitária, Setor Leste Universitário, a partir das 15h
– São Luís-MA: Praça Deodoro, centro, a partir das 15h
– Cuiabá-MT: Praça Alencastro, no Centro Norte, às 14h
– Campo Grande-MS: Praça Ary Coelho, no centro, a partir das 15h
– Belo Horizonte-MG: Praça Afonso Arinos, no centro , às 17h
– Belém-PA: Praça da República, no bairro Campina, às 16h
– João Pessoa-PB:  Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a partir das 15h
– Curitiba-PR: Praça Santos Antrade, no centro, às 18h
– Recife-PE:  Rua Aurora, em Santo Amaro, a partir das 15h
– Teresina-PI: Praça da Liberdade, no centro, às 8h
– Rio de Janeiro-RJ: Na Candelária, região central, a partir das 15h
– Natal-RN: Praça Cívica, no bairro Petrópolis, às 15h
– Porto Alegre-RS: Esquina Democrática, no centro histórico, às 18h
– Porto Velho-RO: Universidade Federal de Rondônia (UNIR), no centro, às 16h
– Boa Vista-RR: Centro Cívico, a partir das 16h
– Florianópolis-SC: Praça XV de Novembro, no centro, a partir das 15h.
– São Paulo-SP: Largo da Batata, em Pinheiros, a partir das 17h
– Aracaju-SE: Praça General Valadão, região central, a partir das 15h
– Palmas-TO: Universidade Federal do Tocantins (UFT), às 18h

Humberto: "Congresso tem que fazer o melhor pra o Brasil, não para o Moro"

REFORMA MINISTERIAL TEM QUE ATENDER AOS INTERESSES DO BRASILO COAF, sob o guarda-chuva do então Ministério da Fazenda, conseguiu chegar em Queiroz e identificar toda a movimentação milionária realizada nas contas dele. Depois disso, muita coisa foi descoberta nesse caso. Por que alguns querem tirá-lo de lá?

Publicado por PT no Senado em Terça-feira, 28 de maio de 2019