Negócios relacionados à Copa do Mundo chegam a R$ 50 milhões

Sebrae prevê que negócios de micro e pequeno porte atinjam valores entre R$ 60 milhões e R$ 100 milhões em contratos até a Copa.

:: Da redação10 de dezembro de 2012 14:38

Negócios relacionados à Copa do Mundo chegam a R$ 50 milhões

:: Da redação10 de dezembro de 2012

Micro, pequenos e médios empresários brasileiros já fecharam R$ 50 milhões em negócios para a Copa do Mundo de 2014, de acordo com relatório do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A instituição mapeou 930 oportunidades relacionadas ao evento em dez setores da economia. Desde junho, foram promovidos 13 encontros entre fornecedores de produtos e serviços e compradores nas 12 cidades-sede do Mundial e promovidas palestras e workshops para 1.500 pequenos empresários brasileiros.

A previsão do Sebrae é atingir valores entre R$ 60 milhões e R$ 100 milhões em contratos até a realização da Copa do Mundo, daqui a um ano e meio.

Ainda ocorreram encontros com bancos estatais e privados para que fossem esclarecidas dúvidas sobre financiamentos.

Setores que foram destaque
Segundo o Sebrae, os setores que mais se destacaram no programa foram os da construção civil, tecnologia da informação, móveis, confecção e vestuário, turismo e agronegócios.

“As companhias demandantes, sejam grandes, médias ou pequenas, têm dificuldades em encontrar empresas que atendam a seus requisitos de qualidade, prazos e tecnologia, ao mesmo tempo em que precisam ampliar sua gama de fornecedores”, disse o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto.

“As micro, pequenas e médias empresas devem aproveitar a chance de se tornarem melhores, operacional e financeiramente, porque assim se fortalecem e se tornam capazes de continuar crescendo após a Copa.”

De acordo com ele, o setor de agronegócio foi um dos destaques do programa.

Muitas empresas, explicou, já fecharam contratos para a venda de alimentos orgânicos, por exemplo, para abastecer restaurantes, hotéis e pousadas que receberão visitantes no evento.

Prioridade para indústria nacional nas Olimpíadas
Durante audiência pública realizada no último dia 07/11, pela Comissão Mista da Medida Provisória (MP 584/12), que prevê a desoneração de uma série de impostos visando à realização dos Jogos Olímpicos de 2016, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman anunciou que o comitê organizador dos Jogos deve anunciar, ainda neste mês, um portal de compras, onde as empresas brasileiras poderão visualizar com antecedência os produtos e materiais que o Comitê terá necessidade de comprar em virtude da realização dos Jogos de 2016.

“Assim, as indústrias nacionais saberão todo o material que vamos precisar e estarão preparados para nos auxiliar. Dessa forma, estamos ajudando as indústrias a se preparar para serem nossos fornecedores”, disse Nuzman, que exemplificou. “Somente na cidade olímpica, serão compradas aproximadamente 30 mil camas. Somados a isso, serão comprados colchões, lençóis e travesseiros. Dá para se ter uma noção da quantidade de material que vamos necessitar”, disse.

Com informações do Sebrae

Leia mais:
MP das Olimpíadas de 2016 vai ao plenário da Câmara dos Deputados

Leia também