Desigualdade

Mulheres negras são o grupo mais vulnerável ao desemprego

Estatísticas do Ipea refletem formação da sociedade brasileira
:: Brasil de Fato6 de novembro de 2018 11:22

Mulheres negras são o grupo mais vulnerável ao desemprego

:: Brasil de Fato6 de novembro de 2018

Jovens e mulheres negras são os grupos sociais mais vulneráveis ao desemprego no Brasil. A informação, lançada na última quarta-feira (31), foi levantada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e publicada no Boletim de Mercado de Trabalho nº 65. O estudo mostra que a cada ponto percentual de elevação na taxa geral de desemprego, as mulheres negras sofrem aumento de 1,5 ponto percentual. No caso das mulheres brancas, o valor é de 1,3 ponto percentual.

“Essa estrutura do mercado de trabalho, de alguma forma, reflete as estruturas de desigualdade socioeconômicas presentes na sociedade brasileira. São desigualdades do ponto de vista da renda, do patrimônio, da condição cultural, do acesso à educação. Essa desigualdade, que perpassa a sociedade como um todo, acaba repercutindo no mercado de trabalho e na sua dinâmica”, afirma Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Diante da necessidade urgente de se reafirmar os direitos das mulheres negras, a eleição de Bolsonaro causa preocupação. O futuro presidente é conhecido pelas declarações racistas, machistas e homofóbicas, o que demonstra desprezo e falta de empatia com certos setores da classe trabalhadora. Na interpretação de Luka, as propostas para o próximo governo seguem essa tendência.

Confira a íntegra da matéria

Leia também