Patrimônio ameaçado

Nordeste em defesa da Chesf e da soberania nacional

O ato é organizado pelos sindicatos de eletricitários da Bahia e de Pernambuco, com apoio do movimento popular, da Frente Parlamentar em defesa do Rio São Francisco (Nacional e Regional), igrejas, e entidades dos setores agrícola, pecuário, turístico e comercial
:: Cyntia Campos4 de outubro de 2017 17:28

Nordeste em defesa da Chesf e da soberania nacional

:: Cyntia Campos4 de outubro de 2017

Depois de congelar os investimentos em saúde e educação por 20 anos, acabar com o Prouni, o Fies e o Ciência sem Fronteiras, destruir a Farmácia Popular e o Pronatec, esfacelar o Minha Casa, Minha Vida e rasgar a CLT, o governo Temer prepara-se agora para vender a preço de banana o patrimônio dos brasileiros. “Temer está loteando a Amazônia, quer privatizar o Rio São Francisco e vender as joias da coroa do setor elétrico brasileiro”, denuncia o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

Uma das investidas do governo é a tentativa de privatizar a Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco), maior geradora de energia elétrica do País e um dos pilares do desenvolvimento regional, criada em 1945. Esse ataque está gerando grande mobilização em todo o Nordeste, como relata Humberto. Nesta sexta-feira (6), por exemplo, será realizado um grande ato em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA)—cidades irmãs unidas pela Ponte Presidente Dutra, sobre o Rio São Francisco —, para demonstrar a decisão de toda a região de resistir a mais esse golpe contra a soberania nacional.

“Querem dilapidar um sistema de 14 usinas, que juntas produzem quase 14 mil megawatts e geram eletricidade para cerca de 25 milhões de residências em todo o País. Entre elas, a Chesf, um patrimônio inestimável e fundamental para o Nordeste e, especialmente, para o meu Estado de Pernambuco”

Senador Humberto Costa (PT-PE)

O ato está sendo organizado pelos sindicatos de eletricitários da Bahia e de Pernambuco, com apoio do movimento popular, da Frente Parlamentar em defesa do Rio São Francisco (Nacional e Regional), igrejas, e entidades dos setores agrícola, pecuário, turístico e comercial. Humberto Costa já confirmou presença, assim com parlamentares de diversos partidos governadores dos estados nordestinos e artistas locais.

Ataque à soberania
“Parece inacreditável que um governo decrépito, moribundo, como esse de Michel Temer, siga determinado no seu propósito de acabar com o que sobrou do País, depois de tudo que já destruiu”, protestou o senador, lembrando a rejeição ao ocupante do Planalto aferida em todas as pesquisas de opinião. “Um presidente detestado por toda a população brasileira, e, em razão disso, é absolutamente alienado em relação ao povo e que está pouco se importando para o que pensam os brasileiros sobre o desmonte que impõe ao País”.

O Ministério das Minas e Energia já anunciou que enviará ao Congresso, ainda neste mês de outubro, a modelagem de privatização da Eletrobras. “Querem dilapidar um sistema de 14 usinas, que juntas produzem quase 14 mil megawatts e geram eletricidade para cerca de 25 milhões de residências em todo o País. Entre elas, a Chesf, um patrimônio inestimável e fundamental para o Nordeste e, especialmente, para o meu Estado de Pernambuco”, denunciou o senador.

Milhares de brasileiros que vivem na região do São Francisco são beneficiários de projetos sociais desenvolvidos pela Chesf ao longo de décadas. Além de gerar energia elétrica para desenvolver a região, a companhia investe no incentivo à pesca e à fruticultura, que geram trabalho e renda, e na revitalização do rio. “E este governo quer vender uma empresa que além da imensa dimensão econômica, tem principalmente essa dimensão humana”, protesta Humberto.

 

Leia também