Eduardo Guimarães

Nota: em defesa da liberdade de expressão

O episódio de hoje reforça a prática de exceção da Operação Lava-Jato, que se vale do processo penal para perseguir inimigos políticos
:: Da redação21 de março de 2017 15:25

Nota: em defesa da liberdade de expressão

:: Da redação21 de março de 2017

Em nota, a liderança da Bancada do PT no Senado Federal manifestou solidariedade ao blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, preso coercitivamente pela Polícia Federal.  “O episódio de hoje reforça a prática de exceção da Operação Lava-Jato, que se vale do processo penal para perseguir inimigos políticos”, advertem os senadores.  Veja abaixo a íntegra da nota.

NOTA DE APOIO

Hoje, às seis horas da manhã, o blogueiro progressista Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, foi surpreendido pela chegada da Polícia Federal que, com mandado de busca e apreensão, levou todos os seus equipamentos de trabalho, incluindo computadores, celular, pendrives e o celular de sua esposa.

Em seguida Guimarães foi conduzido coercitivamente à Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, no bairro da Lapa, para depor sobre “vazamento de informações” da Operação Lava-Jato durante episódio que envolveu o presidente Lula, em março de 2016.

Ele foi conduzido coercitivamente neste 21 de março quando, na verdade, tinha uma intimação para comparecer à Polícia Federal e depor no dia 3 de abril, sem nunca ter se negado a prestar tal depoimento.

O episódio de hoje reforça a prática de exceção da Operação Lava-Jato, que se vale do processo penal para perseguir inimigos políticos.

Desta vez o alvo foi um profissional no exercício do direito à comunicação e à liberdade de expressão.
Vale lembrar que a Convenção Americana de Direitos Humanos, conhecida como Pacto de San Jose, do qual o Brasil é signatário, reconhece o direito à liberdade de pensamento e expressão como um direito humano. Além disso, garante que “não se pode restringir o direito de expressão por vias ou meios indiretos, tais como o abuso de controles oficiais, (…) nem por quaisquer outros meios destinados a obstar a comunicação e a circulação de ideias e opiniões.”

A partir de decisão do Juiz Sergio Moro, a Polícia Federal conduziu de forma coercitiva um jornalista. O fato chama a atenção porque, contraditoriamente, o vazamento seletivo de informações tem marcado a Operação. Estas mesmas informações têm servido a campanhas difamatórias e persecutórias da grande mídia, que escolhe seus alvos: o presidente Lula e a presidenta Dilma – esta, insistentemente alvejada até ser golpeada.

Nossa solidariedade a Eduardo Guimarães e a todos os outros profissionais da imprensa independente e progressista que, com coragem, denunciam diariamente as barbaridades cometidas por este governo golpista, ultra neoliberal e, de forma crescente, repressor e policialesco.

Reprodução autorizada mediante citação do site PT no Senado

Leia também