Vacinas aprovadas

O dia D da esperança

Senadores do PT destacam o valor da Ciência, do Sistema Único de Saúde e da vida no dia da aprovação, pela Anvisa, de duas vacinas contra a Covid-19.
:: Da redação18 de janeiro de 2021 16:58

O dia D da esperança

:: Da redação18 de janeiro de 2021

O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho (SE), pontuou que este domingo, 17, significou mais que um dia de comemoração, mas sim de preservar vidas.

“Apesar de Manaus viver uma nova tragédia, e que se pode se repetir em outros Estados, o que vivemos neste domingo alimenta nossa esperança, com a aprovação da Anvisa para uso de duas vacinas aqui no Brasil. A vacina é para todos, a vacinação já devia ter iniciado. Infelizmente o governo federal ainda trata uma pandemia que ceifa o mundo como uma “gripezinha”. É lamentável”, disse Rogério Carvalho.

Por unanimidade, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou neste domingo o uso emergencial da chinesa CoronaVac e da vacina de Oxford. A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, foi a primeira pessoa a receber a vacina, fora dos estudos clínicos.

A CoronaVac foi desenvolvida na China mas, no Brasil, foi produzida pelo Instituto Butantan.

Agora é preciso garantir que a vacinação seja universal. “O Brasil tem um programa nacional de imunização muito consistente, e é uma referência no mundo inteiro. Então não entendo porque excluir algumas parcelas da população, considerando a gravidade da Covid-19”, frisa o senador.

“Enfim, a vacina chegou. Dia histórico para o Brasil. Viva a Ciência! Viva o SUS!”, comemorou em suas redes sociais o senador Jaques Wagner (PT-BA).

Já o senador Paulo Rocha (PT-PA) destacou a vacinação de uma enfermeira indígena: “técnica de enfermagem e assistente social, Vanusa Kaimbé, de 50 anos, foi a primeira indígena a ser vacinada contra a Covid-19. Ela é presidenta do Conselho dos Indígenas Kaimbé do estado de São Paulo”.

O senador Humberto Costa também se manifestou nas redes sociais com entusiasmo, e pediu a saída do presidente Bolsonaro: “Viva a ciência! Fora, Bolsonaro! Que o presidente fique calado e não atrapalhe a vacinação. O Brasil não pode esperar”.

 

Leia também