Para Aníbal Diniz, presidente Dilma recebeu ‘legado bendito e extraordinário’

:: Da redação15 de setembro de 2011 17:15

Para Aníbal Diniz, presidente Dilma recebeu ‘legado bendito e extraordinário’

:: Da redação15 de setembro de 2011

A presidenta Dilma e o ex-presidente Lula no 4º Congresso do PT.

Em pronunciamento nesta quarta-feira (14/09), o senador Aníbal Diniz (PT-AC) comentou declarações da presidente da República, Dilma Rousseff durante o 4º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, realizado há cerca de duas semanas. Durante o congresso, a presidente rechaçou as insinuações de que teria recebido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma “herança maldita’. “Muitos integrantes da oposição estão perdidos em meio à completa ausência de propostas e por isso querem passar a ideia de que a presidente Dilma vive uma quase infelicidade na gestão da Presidência da República”, disse.

Para o senador, a oposição tenta esconder a mudança ocorrida no Brasil nos últimos anos, que incluiu crescimento econômico, fortalecimento do mercado interno, geração de empregos, expansão do crédito, combate à pobreza e valorização do salário mínimo. Na opinião de Aníbal Diniz, a presidente recebeu um “legado bendito e extraordinário”, que ajudou a construir. “A presidente Dilma fez questão de afirmar: ‘Eu estava lá em todos os momentos e ajudei a fazer isso aqui'”, relatou o senador.

Aníbal Diniz também rebateu críticas da imprensa e da oposição, segundo os quais o PT estaria tentando instituir a censura. As críticas foram feitas após a aprovação, no congresso do partido, de documento que acusa a imprensa de “conspiração midiática” apoiada ou dirigida pela oposição para dissolver a base parlamentar do governo e sugere que o partido deve “repelir com firmeza as manobras da mídia conservadora”.

“Não se votou em nenhum momento, no Congresso do PT, qualquer menção de censura à imprensa. Pelo contrário, o partido radicaliza no sentido de fazer a defesa das liberdades democráticas, da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa no nosso país”, afirmou.

Agência Senado

Leia a íntegra do discurso

Leia também