Para Fundação das Nações Unidas, Brasil tornou-se referência no combate à fome

:: Da redação8 de maio de 2015 14:55

Para Fundação das Nações Unidas, Brasil tornou-se referência no combate à fome

:: Da redação8 de maio de 2015

Presidenta da Fundação das Nações Unidas também elogiou compromisso do País em reduzir a violência contra a mulher. Foto: RafaB/PRA presidenta da Fundação das Nações Unidas (UN Foundation), Kathy Calvin, disse, após reunião com a presidenta Dilma Rousseff nessa quinta-feira (7), que o Brasil é uma referência internacional no combate à fome e à desigualdae social. Além disso, ela reforçou a importância do País na redução da mortalidade materna e infantil.

 

“Estamos particularmente felizes de ver e aprender sobre o progresso que o Brasil fez em termos de reduzir a fome e a mortalidade materna, a mortalidade infantil, melhorando a cobertura para meninos e meninas. Melhorando a equidade de gênero e assegurando que há uma inclusão no trabalho que tem sido feito para os cidadãos brasileiros”, afirmou.

 

Para Calvin, o governo brasileiro tem compromisso em reduzir a violência contra a mulher. Como exemplo, ela citou a lei que criminaliza o feminicídio.

“A presidenta Dilma nos falou também sobre seu compromisso com a redução da violência contra as mulheres e sobre os vários esforços que têm sido feitos, por meio de leis, para garantir que seja um crime praticar violência contra as mulheres no Brasil”, disse, em entrevista coletiva à imprensa.

 

Ela também elogiou as ações do Brasil voltadas ao uso de energia sustentável. “Nós estamos impressionados com o Brasil, com o que o Brasil fará para que no futuro tenha energia sustentável. São lições que devem ser compartilhadas em todo o mundo e o Brasil pode assumir grande liderança neste tema”, afirmou a presidente da Fundação das Nações Unidas.

 

Com informações da Agência PT de Notícias, Blog do Planalto e Agência Brasil

 

Leia mais:

Instituto Lula relaciona e publica “as sete mentiras da capa de Época”

Lula recebe, no Canadá, o Prêmio Nelson Mandela de Direitos Humanos

 

 “O PT acabou”, grita a direita. Marcelo Zero, em artigo, concorda e esclarece

Leia também