Defesa do Patrimônio

Parlamentares organizam campanha “Petrobras Fica”

O senador Jean Paul criticou, durante evento, o acordo firmado pela estatal com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em que a Petrobras se comprometeu a vender oito refinarias para encerrar uma investigação no órgão
:: Assessoria do senador Jean Paul Prates10 de agosto de 2020 10:25

Parlamentares organizam campanha “Petrobras Fica”

:: Assessoria do senador Jean Paul Prates10 de agosto de 2020

Defender a permanência da Petrobras foi a tônica que movimentou a pauta de lançamento da campanha nacional #PetrobrasFica, ocorrida nessa sexta-feira (07). Coordenada pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras, presidida pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN), a campanha tem como objetivo evitar a privatização fatiada da empresa, conforme vem sendo defendida pelo governo Bolsonaro. 

A mobilização contou com a participação de lideranças partidárias, economistas e sindicalistas que participaram de uma reunião virtual para dar início às estratégias de mobilização nos Estados afetados pela saída, desintegração e desverticalização da companhia.  

O senador Jean Paul criticou o acordo firmado pela estatal com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em que a Petrobras se comprometeu a vender oito refinarias para encerrar uma investigação no órgão.“Esse processo precisa ser esclarecido: o Cade nem chegou a concluir por dominação de mercado. Não chegou a investigar nada, e a Petrobras, sem apresentar defesa, foi logo sacrificando metade do seu parque de refino”, disse. 

Após menos de dois meses de investigação, a atual diretoria da Petrobras decidiu fechar, no ano passado, um acordo com o Cade, antes mesmo que o processo movido pela Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) fosse julgado. O acordo foi celebrado sem que o Cade chegasse a investigar as possíveis práticas anti-competitivas e condenar a Petrobras. Para o senador do PT, o resultado de décadas de luta, trabalho e dedicação do povo brasileiro está  se evaporando, graças a um projeto político que tem como um dos seus alicerces a entrega das riquezas nacionais ao capital internacional.  

Segundo o senador, “o plano de privatizar a estatal em fatias não visa garantir o abastecimento ou novos investimentos, como dizem, mas apenas aumentar a distribuição de lucros aos acionistas, invertendo a lógica da empresa de servir ao país e aos consumidores”. 

Prates ressaltou, também, que o mito das estatais ineficientes foi superado. “É uma defesa da estatal útil aos brasileiros. Nossa campanha é de cuidado e zelo com o Brasil. A sociedade precisa compreender a importância da Petrobras e que essa política de desmonte representa: uma ameaça para o futuro do país”, frisa. 

Foto: Reprodução

Confira a íntegra da matéria

Leia também