Pimentel: Projeto de Temer será pago pelos mais pobres para premiar mais ricos

:: Assessoria do senador José Pimentel31 de agosto de 2016 01:16

Pimentel: Projeto de Temer será pago pelos mais pobres para premiar mais ricos

:: Assessoria do senador José Pimentel31 de agosto de 2016

O senador lembrou períodos históricos em que a elite tomou o poderAo discursar contra o impeachment da presidenta da República, Dilma Rousseff, na noite desta terça-feira (30), o senador José Pimentel (PT-CE) lançou um desafio. “Alguém tem coragem de ir às urnas e pedir o voto do povo brasileiro, tendo como proposta o projeto do governo interino de Michel Temer?”, afirmou. 

Segundo Pimentel, “esse projeto será pago pelos mais pobres para premiar os mais ricos”, repetindo uma articulação da elite que já ocorreu diversas vezes na história do Brasil e causou sérios danos à democracia. Em seu pronunciamento, o senador deixou claro que o processo de impeachment da presidenta Dilma resulta da mobilização dessa mesma elite, sempre disposta a perseguir os governantes que defendem os interesses dos brasileiros mais pobres. 

O senador afirmou que “a elite brasileira não suporta a quarta vitória do Partido dos Trabalhadores e a manutenção de um projeto de nação que defende os interesses dos mais pobres. Por isso, querem impedir a presidenta Dilma, sem que ela tenha cometido qualquer crime”. Ele resgatou diversos fatos históricos para confirmar o risco que o país corre com o afastamento definitivo da presidenta Dilma. 

Pimentel citou como exemplo as articulações contra os ex-presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart. Segundo Pimentel, na campanha para eleição de Getúlio, essa mesma elite dizia: se Getúlio for eleito, não pode tomar posse. Se tomar posse, não governa. Se governar, nós o eliminamos. “Esse grupo levou Getúlio a dar um tiro no peito e entrar para a história, por não aceitar os caprichos da elite”, ressaltou. 

Da mesma forma, disse Pimentel, a elite não se conteve quando João Goulart foi eleito. “Promoveram um golpe militar e civil para garantir a vacância da presidência da República e o início da ditadura militar que levou o país aos anos de chumbo”, relembrou. O senador ressaltou que esse “grande erro” foi reconhecido recentemente pelo Congresso Nacional, ao restituir o cargo a Jango. 

Pimentel destacou ainda que a perseguição das elites aos defensores dos mais pobres se mantém ao longo da história da humanidade em várias partes do mundo. O senador citou como exemplos Nelson Mandela e sua luta contra o apartheid na África do Sul; Gandhi e sua luta pela independência da Índia, além de Jesus Cristo, “crucificado ao lado de um ladrão por defender os mais pobres”. 

 

Fonte: Assessoria de imprensa do senador José Pimentel