Pinheiro acha possível CPI mista iniciar trabalhos na quarta-feira

:: Da redação20 de abril de 2012 14:00

Pinheiro acha possível CPI mista iniciar trabalhos na quarta-feira

:: Da redação20 de abril de 2012

O líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo, Walter Pinheiro (BA), afirmou ser possível que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), criada nesta quinta-feira (19/04) em sessão no Congresso Nacional, inicie os trabalhos já na próxima quarta-feira (25/04).

A CPI foi instalada com o apoio de 337 deputados e 72 senadores. O número de assinaturas dos parlamentares foi bem superior ao mínimo necessário, que são 171 de deputados e 27 de senadores.

Um dia antes, na terça-feira (25/04), até às 19h30, os blocos partidários devem entregar às mesas diretoras da Câmara e do Senado a lista dos parlamentares que vão integrar a comissão, os titulares e os suplentes. “A gente tem condição de abrir os trabalhos já na quarta-feira, cumprindo a tradição de que o parlamentar com maior idade possa fazer a convocação e a instalação da comissão”, afirmou.

Segundo Pinheiro, a leitura do requerimento feita hoje significa um avanço, uma vez que a CPI mista poderá requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) os documentos resultantes das operações da Polícia Federal,  Vegas e Monte Carlo, que mostram os tentáculos do contraventor Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários. “A CPMI poderá se colocar para ter acesso a todo o material que foi produzido pelas operações da Polícia Federal e o processo que se encontrava na Procuradoria Geral da República”, explicou.

Pinheiro disse que, a partir de agora, a tarefa é montar a estrutura de trabalho e quem vai fazer isso é a CPMI, ou seja, definirá um cronograma e por onde dará início à análise do material que a comissão terá acesso. Por outro lado, ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado caberá  julgar exclusivamente o decoro de parlamentares, no caso específico a representação que há contra o senador Demóstenes Torres (ex-DEM- GO), por sua ligação com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

Indicações
Pinheiro refutou questão feita por repórter da TV Globo se haveria a possibilidade de o PT não indicar os nomes que irão compor a CPMI para indiretamente barrar sua instalação. “Essa é uma pergunta que nem cabe. Isso é impossível”, respondeu Pinheiro, lembrando que o PT e o Bloco consignaram todas as assinaturas dos 25 parlamentares que foram o bloco – 13 senadores do PT e 12 senadores dos partidos PDT, PSB, PCdoB e PRB. “O prazo para entregar os nomes é terça-feira e nossa expectativa é que o parlamentar com maior idade possa instalar a comissão já na quarta-feira”, salientou.

Pelas regras regimentais, o PT, que tem a maior bancada na Câmara, indicará o nome do relator. O PMDB, no Senado, fará a indicação do presidente da CPMI.

Quanto às acusações da oposição de que estaria ocorrendo uma blindagem da CPMI para evitar uma profunda investigação, o líder foi claro: “quem vai decidir isso é a CPMI. As pessoas ficam fazendo ilações, falando mentiras e ao mesmo tempo fazem um jogo de especulação de algo que nem foi instalado ainda. Blindar o quê?, indadou.

Pinheiro reforçou ainda que a CPMI tem um eixo para seguir e agora, antes de qualquer coisa, a comissão precisa ser instalada. “Quero lembrar que se não fosse essa posição cobrada por nós, de abrir uma CPMI, talvez a gente nem tivesse chegado nesse estágio. Muita gente que está fazendo ilações de que haverá blindagem, antes defendia um rito sumário, porque o importante era cassar o senador Demóstenes Tores pura e simplesmente”.

O líder observou que desde o início o PT entendeu que não bastava só o Conselho de Ética se manifestar sobre os tentáculos de Carlinhos Cachoeira com parlamentares, mas também a rede de negócios montada por ele. “A CPMI vai dar uma grande contribuição para punir verdadeiramente os culpados. Nós temos que acabar com essa máfia no Brasil”, afirmou.

 Marcello Antunes


Leia mais:

CPMI da rede Cachoeira será instalada nesta quinta-feira
 

Congresso Nacional instalará CPI mista da Rede Criminosa de Cachoeira
 

CPI mista fará ampla investigação da rede criminosa

Leia também