Pinheiro mantém pré-candidatura ao governo da Bahia

“Faço isso lastreado pela força da nossa história e pela força da militância do partido”.

:: Da redação28 de novembro de 2013 19:40

Pinheiro mantém pré-candidatura ao governo da Bahia

:: Da redação28 de novembro de 2013

Para o senador, mais importante é discutir
programa capaz de dar continuidade a
administrações petistas

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) anunciou, em pronunciamento ao plenário nesta quinta-feira (28), que pretende disputar a indicação do PT para ser candidato ao governo do estado da Bahia. “Faço isso lastreado pela força da nossa história, da nossa vida e pela força da militância do partido”, afirmou. Neste sábado, o Diretório Estadual do PT terá uma reunião para discutir a candidatura do partido ao governo, pretendida por quatro pré-candidatos.

Pinheiro, que é o senador mais votado da história na Bahia, considera que mais importante que discutir nomes para a sucessão do governador Jaques Wagner (PT) é discutir um programa que seja capaz de dar continuidade aos oito anos de administração petista no estado, aprofundando as conquistas já alcançadas.

Em seu pronunciamento, ele recapitulou sua trajetória como militante, iniciada no movimento secundarista, integrando um Centro Cívico — entidades que durante a ditadura militar substituíram os grêmios estudantis — passando pela atividade sindical e chegando à política partidária e à atividade parlamentar, iniciada com o mandato de vereador, na Câmara Municipal de Salvador. “Mesmo nos momentos mais difíceis dentro do PT, assumi as posições que eu julgava coerentes com a minha origem [política] e com as origens do Partido dos Trabalhadores. Não andei, de forma nenhuma, fora desse traçado!”, avalia o senador.

Pinheiro foi aparteado por senadores de diversos partidos, que elogiaram sua postura como parlamentar e sua decisão de concorrer ao governo da Bahia. O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) descreveu o colega baiano como “um dos melhores quadros do partido”, destacando a “conduta exemplar, inatacável”, mantida por Pinheiro em sua vida partidária e parlamentar.

Cyntia Campos

Leia também