Pinheiro quer cooperação entre Brasil e Espanha em pesquisa de energia

:: Da redação6 de março de 2014 15:19

Pinheiro quer cooperação entre Brasil e Espanha em pesquisa de energia

:: Da redação6 de março de 2014

Senador do PT da Bahia quer instituições da Europa na formação de técnicos brasileiros.
 

Pinheiro mostrou-se entusiasmado com as
perspectivas de cooperação entre instituições
espanhois e brasileiras 

Em missão oficial na Espanha, o senador Walter Pinheiro (PT-BA) visitou, na última quarta-feira (5), o Centro de Investigações Energéticas do Governo Espanhol – Ciemat (Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas), organismo público ligado ao ministério da Economia e Competitividade.

O senador mostrou-se entusiasmado com as perspectivas de cooperação entre o Ciemat e o Centro Nacional de Energia Renováveis (Cener), também espanhol, com instituições brasileiras. Por meio de convênios, Pinheiro defende que as instituições europeias possam contribuir com a formação de técnicos brasileiros, “em ações conjuntas dos dois países, com envolvimento do meio acadêmico, universidades, empresas privadas e governos. Uma ação tripartite”, explicou.

Na Bahia, conta o senador, o governo do estado já mantém uma unidade de educação, pesquisa, desenvolvimento e inovação industrial, iniciativa coordenada pelas secretarias de Indústria e Comércio (Sicm) e da Ciência e Tecnologia (Secti), SENAI (por meio do núcleo Cimatec), Federação das Indústrias (Fieb) e universidades.

Telefonia
Pinheiro também esteve reunido com a direção da empresa Telefônica, para discutir o processo de otimização dos chamados “Smart Gird” – ferramentas que usam as tecnologias digitais e de informação, no contexto da expansão das chamadas “Cidades Inteligentes”.

“A Telefónica  deu sinais que pode ser uma ótima parceira dos Centros de Tecnologia nos serviços de Smart Metering, a partir do acordo da Telefónica do Reino Unido e o  contrato de prestação de serviços e o departamento britânico de energia e mudanças climáticas. A direção da empresa informou  que vai manter a ponta do processo na Inglaterra e  estendê-lo ao Brasil, podendo beneficiar as ações já desenhadas para serem implantadas no Cimatec, na Bahia, por exemplo”, destacou.

De acordo com a empresa, a iniciativa dos medidores inteligentes no Reino Unido é um projeto de expansão até 2020, com investimentos de 11 bilhões de libras esterlinas, equivalentes a US$ 17,6 bilhões, e tem projeção de conseguir uma economia de 6,7 bilhões de libras esterlinas (US$ 10,7 bilhões) em redução de consumo de energia com o gerenciamento e implantação mais eficientes. A distribuição em massa dos aparelhos começará em 2015.

Segundo Pinheiro, a reunião foi promissora e o momento é de construir os acordos e parcerias para garantir a chegada dos serviços em benefícios de todos os cidadãos. “Agora é o momento de aplicar as ações. Levar a tecnologia e o conhecimento na ponta, na rua, na economia, na casa e na vida das pessoas.

Com informações da assessoria do senador Walter Pinheiro

Leia também