Planalto confirma que Eduardo Braga continuará líder do governo no Senado

:: Da redação27 de junho de 2012 18:59

Planalto confirma que Eduardo Braga continuará líder do governo no Senado

:: Da redação27 de junho de 2012

Mesmo antes do líder do governo no Senado, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), anunciar sua decisão de concorrer ou não à disputa pela Prefeitura de Manaus nas eleições de outubro, a ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, confirmou que o senador concorrerá nas á qualquer cargo eletivo nas eleições deste ano. Continuará, portanto, desempenhando as funções de líder do governo no Senado.

O senador Eduardo Braga reuniu—se, na manhã desta quarta-feira, com a presidenta Dilma Rousseff por mais de 40 minutos e, em seguida, participou da cerimônia de anúncio do PAC Equipamentos, no Palácio do Planalto.

“Ela ficou muito feliz, muito satisfeita em ser informada que ele não se candidatará a Prefeitura de Manaus, conforme se chegou a se aventar e será mantido, continuará na liderança do governo no Senado”, disse a ministra Helena Chagas.

Por meio de nota divulgada no “Blog do Planalto”, o Palácio do Planalto informou que, no encontro, “a presidenta manifestou sua satisfação com o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo senador à frente da liderança, facilitando a interlocução política e a aprovação de ações estratégicas para a execução das políticas de governo”.

Eduardo Braga foi escolhido pela presidente para assumir a liderança no dia 31 de maio, em substituição a Romero Jucá (PMDB-RR).

A íntegra da nota do Palácio do Planalto sobre o encontro entre Dilma Rousseff e Eduardo Braga:

“O líder do governo do Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), reuniu-se na manhã de hoje (27) com a presidenta Dilma Rousseff e anunciou que não será candidato à Prefeitura de Manaus, diferentemente de versões divulgadas nos últimos dias. Portanto, o senador continuará como líder do Governo no Senado. No encontro, a presidenta manifestou sua satisfação com o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo senador à frente da liderança, facilitando a interlocução política e a aprovação de ações estratégicas para a execução das políticas de governo.”

Leia também