Plenário deve votar hoje indicações para a diretoria da Aneel

Com três relatórios favoráveis do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), a Comissão de Infraestrutura (CI) aprovou por unanimidade à recondução ao cargo de diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de Romeu Donizete Rufino; a recondução de André Pepitone da Nóbrega para o cargo de diretor e de Tiago de Barros Correia, que, pela primeira vez, irá integrar o corpo de direção da agência.

:: Da redação16 de julho de 2014 13:00

Plenário deve votar hoje indicações para a diretoria da Aneel

:: Da redação16 de julho de 2014

Como manda a legislação, as indicações para cargos de diretoria de agências reguladoras devem passar pelo crivo do Senado, que sabatina os candidatos. Na manhã desta quarta-feira, após o líder do PT fazer a leitura contendo o currículo e as experiências profissionais de cada um, os três executivos falaram sobre o setor.

Inicialmente, agradeceram a confiança da presidente Dilma Rousseff de avalizar as indicações. Romeu Donizete Rufino, indicado para continuar na direção-geral destacou o trabalho e os investimentos realizados para garantir segurança energética no País, cujo crescimento da produção se tornou notável a partir de 2001 quando o País teve de enfrentar um racionamento de energia elétrica.

Segundo ele, até o final do ano passado, a demanda cresceu 60% enquanto a capacidade instalada de produzir energia subiu 70%, o que mostra que a geração acompanhou com folga a demanda. Os desafios do setor energético é manter e garantir a geração, mas também assegurar investimentos na transmissão e armazenamento de água nos reservatórios das usinas. 

Romeu Rufino destacou que a geração hidráulica, produzida pelas hidrelétricas, cresceu 37% nos últimos anos e a capacidade de armazenamento ficou em 22%, apontando que o desafio é construir usinas hidrelétricas que tenham reservatórios.

Já André Pepitone da Nóbrega, indicado para a direção da Aneel, falou sobre o leilão de energia solar que deverá acontecer em outubro. Em sua avaliação, o momento e o potencial brasileiro justificam os investimentos nesse tipo de geração de energia. Ele citou que o Brasil deve seguir os passos da Alemanha e do Japão que fazem da energia solar uma relevante fonte da matriz energética instalada. André Pepitone é o primeiro servidor efetivo da carreira de regulação a ocupar o cargo de diretor da Aneel.

Tiago de Barros Correia, indicado pela primeira vez para integrar o cargo de diretor, afirmou que considera importante a agência gerar conhecimento, até porque a atividade de fiscalização da Aneel produz uma série de dados e de informações que devem ser traduzidas em conhecimento concreto, para orientar a atuação do órgão regulador e também do gestor que faz a política pública.

Perfil
Romeu Donizete Rufino nasceu em abril de 1956 em Coromandel (MG). Graduado em contabilidade pela UDF-DF e pós-graduado em diversos cursos de especialização na área gerencial, entre eles na Kellog Graduate School of Management, nos Estados Unidos.

André Pepitone da Nóbrega nasceu em janeiro de 1974 em Maceió (AL). É formado em engenharia civil pela Universidade de Brasília (UnB) e especialista em Theory and Operation of a Modern National Economy pela Universidade de George Washington, nos Estados Unidos.

Tiago de Barros Correia nasceu em agosto de 1978 em Maputo, capital de Moçambique e tem nacionalidade brasileira. Concursado na carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG) do Ministério do Planejamento, é formado em economia na Universidade de Campinas (Unicamp). Na mesma universidade, fez mestrado na área de sistemas energéticos da Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp.

Com informações da Agência Senado e da Comissão de Infraestrutura (CI)

Leia também