Política social do PT incluiu a redução da fome na agenda mundial, diz Gleisi

:: Da redação9 de junho de 2015 15:37

Política social do PT incluiu a redução da fome na agenda mundial, diz Gleisi

:: Da redação9 de junho de 2015

Gleisi Hoffmann destaca que as melhorias ocorridas no Brasil, nos governos petistas, estão sendo referendadas internacionalmenteComo senadora e, principalmente, como brasileira, fiquei muito orgulhosa com o reconhecimento que o ex-presidente Lula está recebendo por sua contribuição na agenda social do planeta. As melhorias ocorridas no Brasil a partir de 2003, quando Lula tomou posse no Planalto, estão sendo referendadas pelo público na Exposição Universal de Milão, um dos principais eventos internacionais do planeta desde o século XIX.

De fato, temos muito o que comemorar. No período de 2002 a 2014, o Brasil reduziu em 82,1% o número pessoas subalimentadas. A queda é a maior registrada entre as seis nações mais populosas do mundo, e também é superior a média da América Latina, que foi de 43,1%.

Segundo o relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), entre os principais motivos que levaram o Brasil a conquistar as metas estabelecidas pela ONU estão: prioridade política da agenda de erradicação da fome e da desnutrição; compromisso com a proteção social consolidado por meio de programas de transferência de renda; crescimento econômico; e fomento à produção agrícola via compras governamentais. 

Além de tirar milhões de pessoas da extrema pobreza, as políticas sociais criadas nos governos do PT foram responsáveis pela inclusão da redução da fome na agenda mundial.

Outra estatística divulgada recentemente confirma que o governo federal está no caminho certo ao priorizar a integração de políticas sociais com políticas educacionais.  Isso permitiu ao Brasil reduzir de 10% para 1% o número de crianças com até 15 anos que vivem na extrema pobreza. Os programas Bolsa Família e o Brasil sem Miséria são os principais responsáveis por essa redução. Em apenas dois anos, o número de crianças vivendo em extrema pobreza caiu de 6% para 1%.

Sabemos que ainda há muito por fazer, mas estamos enfrentando o problema com determinação. É muito gratificante saber que colaborei na construção dessa trajetória. Enquanto ministra da Casa Civil acompanhei várias iniciativas que contribuíram para o processo de ascensão social dos mais pobres, iniciado com o nosso querido presidente Lula e fortalecido pela presidenta Dilma, fazendo do Brasil uma nação dominantemente de classe média. Entre elas, o programa Brasil Carinhoso, que ajudei a formular junto com a presidenta Dilma e tem sido uma medida importante para tirar da miséria crianças até 6 anos de idade.

Pela certeza do projeto que desenvolvemos em favor do Brasil, serei uma defensora permanente deste Governo. Com a continuidade dessas políticas sociais vamos romper, em definitivo, o ciclo da pobreza em nosso país, servindo de exemplo para o mundo todo.

* Artigo originalmente publicado no site Notícias Paraná, sob o título “Brasil é exemplo para o mundo na redução da fome e da pobreza”

Leia também