PPA fez o Brasil amadurecer, diz Wellington Dias

:: Da redação20 de dezembro de 2011 17:49

PPA fez o Brasil amadurecer, diz Wellington Dias

:: Da redação20 de dezembro de 2011

O senador Wellington Dias (PT-PI) elogiou nesta terça-feira (20/12) o esforço para a aprovação pelo Congresso Nacional do relatório do Plano Plurianual (PPA) para o período de 2012 a 2015 indicando as prioridades do Governo Federal. “Com o PPA nós conseguimos evitar uma coisa que ficou muito famosa no Brasil, como os cemitérios de obras inacabadas. Nesse ponto o PPA ajudou o Brasil amadurecer, porque independente de quem seja governo, de qual partido, se foi reeleito ou se fez sucessor, a regra do PPA prevê que o governante se vê obrigado a trabalhar seu orçamento dentro daquilo que foi estabelecido como prioridade”, afirmou.

No primeiro ano do mandato da presidenta Dilma Rousseff o PPA em vigor tinha a abrangência com metas traçadas a partir de 2007. O lado bom, segundo Wellington, é que se um governo começa um projeto estabelecido nas metas do PPA, o outro governo tem que terminar e estabelecer no orçamento os recursos necessários para cumprir aquela prioridade contida no PPA.

“O senador Walter Pinheiro, relator do PPA, teve a capacidade de tratar de projetos estratégicos e nas situações genéricas, as chamadas rubricas nacionais, que projetam a expansão dos institutos federais de ensino, das universidades, dos programas de apoio à agricultura familiar e apoio aos assentamentos”, observou.

E nas rubricas nacionais o senador Wellington destaca a hidrovia do Parnaíba, que irá beneficiar o seu estado, Piauí, o Maranhão, a Bahia e o Tocantins, e a ferrovia ligando o Piauí à Bahia, a Transnordestina, considerada uma obra estratégica para dinamizar o desenvolvimento regional. “A vantagem do PPA é que tendo um plano podemos direcionar aquilo que o Governo Federal deverá fazer até 2015”, disse.

Em relação ao acompanhamento pela sociedade se as metas do PPA estão sendo cumpridas, Wellington afirmou que todas as ações serão publicadas no Sistema de Informações e Finanças (Siafi), onde as câmaras municipais e as assembleias poderão acompanhar pela internet. “Eu entendo que o cidadão poderá cobrar sua bancada. No Piauí nós colocamos que a Petrobras deverá construir uma base na área de biodiesel no sul do estado. É preciso que seja feito o projeto, que haja a licença. Então, cabe a quem é parlamentar e a quem é do Poder Executivo trabalhar para que os projetos aconteçam e a população cobre de seus dirigentes a meta estabelecida no Plano Plurianual”, finalizou.

Leia também