Convocação geral

Pressão em todo Brasil contra o desmonte da Previdência

"As mulheres deram um impulso na mobilização contra o desmonte da Previdência, levando a luta para as ruas", afirma a senadora Gleisi Hoffmann
:: Marcello Antunes9 de março de 2017 18:50

Pressão em todo Brasil contra o desmonte da Previdência

:: Marcello Antunes9 de março de 2017

“Só a pressão é capaz de influenciar o voto e isso é perfeitamente possível”, afirmou o líder da Oposição no Senado Federal, Humberto Costa, no seminário “A luta contra o desmonte da Previdência Social” promovido pela Liderança do PT na Câmara dos Deputados.  Humberto acrescentou ser necessário que deputados e senadores petistas trabalhem ao lado da militância e dos movimentos sociais.

O deputado Carlos Zarattini (SP), líder do PT na Câmara dos Deputados, entende que não será a mobilização só na Capital Federal que resolverá o problema contra a reforma. São necessárias a mobilização e a conscientização dos trabalhadores nas bases. “Precisamos derrotar essa proposta cruel contra os trabalhadores ainda na comissão especial que discute o tema. A influência da base é relevante”, disse ele.

A líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR), destacou a importância da movimentação das mulheres brasileiras neste dia 8 de março, em Brasília, junto ao Congresso Nacional, e em todas as regiões do Brasil. Segundo ela, “as mulheres deram um impulso na mobilização contra o desmonte da Previdência, levando a luta para as ruas”.

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), denunciou que o governo Temer pretende votar a Reforma da Previdência no silêncio, sem debate e sem participação popular. “Mas as coisas estão mudando. As pessoas percebem a cada dia que a reforma acaba com a aposentadoria e outros direitos”, disse ele. “A reforma não vai ajudar ninguém. Só os banqueiros”, salientou.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, participou da abertura do evento e afirmou que derrotar a reforma da Previdência significará “desmoronar a política recessiva do governo Temer”. “Se derrotarmos essa proposta, que afeta cruelmente os trabalhadores brasileiros, vamos animar a militância e demonstrar a setores que hoje são refratários ao PT de que o partido está do lado certo, defendendo o Brasil ao lado do povo brasileiro”, completou.

Com Agência Câmara.

Reprodução autorizada mediante citação do site PT no Senado

Leia também