Produção de equipamentos de transporte cresce 11,8% em agosto

No acumulado no ano, os bens de capital também mostraram grande dinamismo com alta de 13,5%, com alta de 22% no setor de transportes.

:: Da redação2 de outubro de 2013 17:09

Produção de equipamentos de transporte cresce 11,8% em agosto

:: Da redação2 de outubro de 2013

Setor de equipamentos de transportes cresce
oito meses consecutivos

O setor de bens de capital – que produz máquinas e equipamentos para as empresas – cresceu 11,8% em agosto de 2013, em relação a igual mês do ano anterior. Este resultado é o oitavo consecutivo. O setor foi o que obteve maior destaque na produção industrial, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nessa quarta-feira (02).  No acumulado no ano, os bens de capital também mostraram grande dinamismo com alta de 13,5% e destaque também para a fabricação de equipamentos de transporte, que cresceu 22,2%.

Já a indústria como um todo, registrou alta de 1,6% nos oito meses de 2013, frente a igual período do ano anterior – as taxas positivas foram em três das quatro categorias de uso, 14 dos 27 ramos, 41 dos 76 subsetores e 49,4% dos 755 produtos investigados.

Chama atenção o crescimento do setor de bens de capital porque nele pode-se detectar se as indústrias e empresas estão se preparando para produzir mais. Todos os segmentos do setor registraram alta, com destaque para o avanço de 10,7% para equipamentos de transporte, impulsionado pela maior fabricação de caminhão-trator para reboques e semirreboques, caminhões, aviões e reboques e semirreboques. Os demais resultados positivos foram registrados por bens de capital para construção (46,9%), para fins industriais (11,4%), quinta expansão de dois dígitos consecutiva, agrícola (25,2%), para uso misto (1,8%) e para energia elétrica (0,7%).

Setores
Levando-se em conta a produção deste na ano a produção de veículos automotores avançou 11,0%, exercendo a maior influência positiva na formação da média da indústria, impulsionada pela expansão na produção de aproximadamente 80% dos produtos pesquisados no setor, com destaque para a maior fabricação de caminhão-trator para reboques e semirreboques, caminhões, automóveis e veículos para transporte de mercadorias. Outras contribuições positivas relevantes vieram dos setores de refino de petróleo e produção de álcool (8,6%), de máquinas e equipamentos (5,6%), de outros equipamentos de transporte (6,8%), de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (6,8%) e de borracha e plástico (3,9%).

Estável
Entre julho e agosto, a produção industrial do Brasil se manteve estável. Apesar disso, três das quatro categorias de uso da indústria tiveram alta: bens de capital (2,6%), bens intermediários (0,6%) e bens de consumo duráveis (0,2%). Apenas os bens de consumo semi e não duráveis tiveram queda na produção (-0,3%).

Além disso, 15 das 27 atividades industriais pesquisadas tiveram alta entre julho e agosto, com destaque para os alimentos (2,5%), veículos automotores (1,7%), máquinas e equipamentos (1,2%) e vestuário e acessórios (7,2%).

Veja a íntegra da pesquisa do IBGE 

Foto: www.agorams.com.br

Leia mais:

Produção industrial avança com destaque para indústria de bens de capital

Leia também