Produção de veículos no Brasil bateu recorde em abril

Venda de máquinas agrícolas cresce 32,3% e exportação 35,4%. Produção de caminhões subiu 56,5%. 
:: Da redação7 de maio de 2013 16:02

Produção de veículos no Brasil bateu recorde em abril

:: Da redação7 de maio de 2013

interna-volvo-anfavea

 

A produção de caminhões cresceu 7% sobre
março e 56,5% sobre abril de 2012

 

A produção brasileira de veículos cresceu 6,8% em abril na comparação com março, chegando a 340,9 mil unidades, no melhor resultado mensal desde o recorde registrado em agosto passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (7) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Em comparação a abril de 2012, a alta foi de 30,7%, segundo a entidade. Com isso, no acumulado dos quatro primeiros meses do ano, a produção de veículos no Brasil somou 1,17 milhão de unidades, 17% acima do fabricado no mesmo período de 2012.

 

Antes do recorde de abril, a maior produção já registrada em um único mês pela indústria de veículos do País ocorreu em agosto do ano passado, com 329,3 mil unidades, quando também houve recorde mensal de vendas. O volume de licenciamentos de abril corresponde a uma alta de 17,5% sobre março e a crescimento de 29,4% sobre abril de 2012. No quadrimestre, o setor acumula vendas de 1,16 milhão de veículos, 8,2% mais que no mesmo período do ano passado.

 

Isoladamente, a produção de caminhões cresceu 7% sobre março e 56,5% sobre abril de 2012, para 18.136 unidades. Já as vendas desses veículos avançaram 13,7% na comparação mensal e 25,7% sobre um ano antes, a 13.973 mil unidades.

As exportações de veículos em abril somaram US$ 1,54 bilhão, altas de 11,2% sobre março e de 15,8% na comparação anual. No acumulado de janeiro a abril, as vendas externas somam US$ 5,03 bilhões, uma expansão de 2,8%. O volume de licenciamentos de veículos importados somou 67.396 unidades em abril, alta de 22,4% ante março e crescimento anual de 15,4%.

Colhedora-de-cana

Safra recorde de grãos e juros baixos incentivaram
comercialização de máquinas agrícolas

Vendas de máquinas agrícolas crescem 32,3%
As vendas internas de máquinas agrícolas no atacado totalizaram 7,3 mil unidades em abril deste ano, crescimento de 32,3% sobre o mesmo mês de 2012. Na comparação com março deste ano, a alta foi de 0,5%. O resultado deve-se à grande safra de grãos registrada no País, o início da moagem de cana-de-açúcar, além dos juros baixos do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), do BNDES.

Os juros neste semestre são de 3% para o programa governamental, ante 10% das taxas de janeiro a março do ano passado para o Finame Agrícola, programa do BNDES para a aquisição de máquinas, equipamentos e implementos agrícolas.

Segundo o presidente da Anfavea,Yabiku Júnior, em abril do ano passado os juros do PSI estavam em 7,7%. No acumulado deste ano até abril, as vendas internas de máquinas agrícolas no atacado cresceram 29,6% sobre os primeiro quatro meses do ano passado, para 26,3 mil unidades. O comércio de colheitadeiras aumentou 57,9% nos primeiros quatro meses do ano frente ao mesmo período de 2012, para 3,043 mil unidades. As vendas de tratores cresceram 27,7%, para 20,536 mil unidades, na mesma base de comparação.

No mês passado, as exportações de máquinas agrícolas somaram 1,5 mil unidades, incremento de 7,8% sobre o mesmo período de 2012 e de 35,4% sobre os embarques de março. No acumulado de 2013 até abril, no entanto, os embarques recuaram 27,3%, para 4,5 mil unidades, informou a Anfavea. A receita com os embarques de abril chegou a US$ 339,5 milhões, aumento de 29,2% sobre abril do ano passado, e de 17,4% sobre março deste ano. Nos primeiros quatro meses deste ano, as exportações de máquinas agrícolas renderam US$ 1,1 bilhão, queda de 2,8% o mesmo intervalo do ano passado.

Em 11 anos, indústria cresce 45,6% no PIB
A participação do setor automotivo no Produto Interno Bruto (PIB) da indústria saltou 45,6% em 11 anos, passando de 12,5%, em 2000, para 18,2%, em 2011, apontou o estudo, conduzido pela professora Nara Simone Roehe, especialista em políticas industriais para o setor automotivo e doutora pela PUC do Rio Grande do Sul.

A indústria automotiva vem sendo beneficiada por uma série de desonerações fiscais promovidas pelo Governo Federal. Em março, ao anunciar a prorrogação até o final de 2013 da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre o setor, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, justificou os incentivos citando a importância da indústria automotiva, que representaria 25% da produção industrial.

Segundo o IBGE, apenas a fabricação de veículos automotores – sem considerar a cadeia – respondeu por 9,8% da produção industrial em 2012, contra 7,3% em 2003.

 

Com agências online

 

 

 

Leia também