PT comemora ampliação das universidades federais e escolas técnicas

:: Da redação16 de agosto de 2011 03:00

PT comemora ampliação das universidades federais e escolas técnicas

:: Da redação16 de agosto de 2011

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) destacou a importância do Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Superior e Profissional e Tecnológica, lançado pela presidenta Dilma Rousseff. “Esse programa revoluciona o ensino e modifica a vida nas pequenas cidades do País”, ressaltou. 

O senador comemorou a inclusão do estado da Bahia entre os beneficiados, que receberá duas novas universidades: a Universidade Federal do Oeste da Bahia, com sede em Barreiras; e a Universidade Federal do Sul da Bahia, com sede em Itabuna.

Para ele, a instalação destas instituições no interior do estado representa novos caminhos no Brasil. “Para nós baianos significa muito. A Bahia passou anos com uma só universidade. Agora nós vamos para cinco universidades”, disse ele ao destacar que o investimento educacional é um estímulo ao desenvolvimento do País.

{youtube}x68-t4t4T3g{/youtube}

A senadora Ana Rita (PT-ES) explicou que a criação de dois campi no Espírito Santo atenderá antigas reivindicações da população da região Norte do estado.

Para a senadora, com as duas novas instituições, os moradores dos municípios não precisarão mais deixar suas famílias para estudar nas grandes cidades.

{youtube}ArXQAhj6bV8{/youtube}

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) destacou a criação de um novo campi universitário e mais nove escolas técnicas em Pernambuco, que segundo ele, irão contribuir sensivelmente para diminuir o déficit de mão de obra que o estado enfrenta hoje. 

De acordo com o senador, Pernambuco tem atingido níveis elevados de crescimento, porém a qualificação de mão de obra não tem acompanhado esse ritimo. Para Costa, investimentos em educação técnica e profissionalizante contribuiem para que o crescimento do estado seja sustentável.

{youtube}IY36ZcpdjM0{/youtube}

Bancada do PT prestigia expansão universidades federais

Veja mais

O início de uma nova etapa de expansão das universidades e institutos federais

Um dos compromissos de campanha à Presidência da República saiu do papel e começa a ganhar forma com o anúncio do plano de expansão da Rede Federal de Educação Superior e Profissional e Tecnológica. Assim, o país irá ampliar ainda mais a oferta de vagas em universidades e institutos federais até 2014. O plano – apresentado no Palácio do Planalto, nesta terça-feira (16/8), em cerimônia que atraiu ministros, governadores, prefeitos e educadores – teve a comemoração da presidenta Dilma Rousseff, que o classificou como o início de uma nova etapa da educação brasileira.

“Hoje nós demos inicio a uma nova etapa de expansão. É grande a minha satisfação, pois torno realidade um compromisso assumido na minha campanha à Presidência da República”, disse a presidenta Dilma, para em seguida recordar que foi no governo do ex-presidente Lula e do ex-vice-presidente José Alencar, que não tiveram formação universitária, que começou o processo de construção de campi de universidades e escolas técnicas.

Dilma Rousseff apresentou os números do plano de expansão para ilustrar os avanços no setor educacional. Ela lembrou que o país chegará ao fim de 2014 com duas vezes e meia o número universidades. Nos próximos anos, serão criadas quatro novas universidades federais, abertos 47 novos campi universitários e 208 novos Ifets, disse a presidenta.

“Os números falam por si. Nos próximos quatro anos, meu governo entregará 208 novos Ifets. Quando chegarmos em 2014, o Brasil terá 500 Ifets. É um número muito importante para o país, que não quer mais ser um país aquém do potencial da população”, destacou.

A presidenta destacou também outro ponto: levar o ensino técnico e universitário para o interior do país, como meio de promover o desenvolvimento de cada região. As novas universidades federais serão instaladas no Pará, na Bahia e no Ceará. A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) terá sede na cidade de Marabá; já a Universidade Federal da Região do Cariri (UFRC), no Ceará, terá sede em Juazeiro do Norte. O estado da Bahia ganha duas instituições: a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufoba), com sede em Barreiras, e a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), que terá sede em Itabuna.

Ainda no discurso, a presidenta Dilma lembrou que os instituto federais contam atualmente com 600 mil alunos. Ela comentou também sobre o esforço do governo federal em combinar a oferta e vagas públicas em universidades privadas por meio do ProUni. Deste modo, alunos de famílias carentes podem cursar a rede privada de ensino superior. Porém, a presidenta esclareceu que se os antecessores tivessem feito a expansão da oferta de universidades e escolas técnicas o país estaria num posto mais avançado.

Dilma Rousseff pediu apoio dos parlamentares para aprovação do Pronatec, proposta já enviada ao Congresso Nacional. “Falo aqui também do Pronatec. Peço aos parlamentares que nos ajudem na aprovação do Pronatec. É aquele programa de ensino médio que introduz na educação brasileira um momento decisivo que é a formação técnica e profissional. Vai significar para o Brasil aumento de melhora da qualidade do emprego”, destacou.

A presidenta comentou também sobre o programa Ciência sem Fronteiras, que colocará à disposição 75 mil bolsas de estudo, com recursos federais, em universidades no exterior. Ela previu também outras 25 mil bolsas custeadas pela iniciativa privada. No final, destacou o momento pelo qual o Brasil atravessa que irá exigir mais investimentos, seja em infraestrutura, seja na formação dos jovens brasileiros, e descartou qualquer risco de contágio por parte de outros países que enfrentam crises financeiras e onda de protestos.

Recursos

O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou que o plano prevê investimentos de cerca de R$ 7 milhões para cada unidade de Ifet, e entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões para implantação dos campi em cada município. Haddad concedeu entrevista coletiva após a solenidade.

Sobre a votação no Congresso Nacional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o ministro disse acreditar que as lideranças parlamentares “estarão sensíveis em relação a esse projeto que é imprescindível para o desenvolvimento nacional”.

Com Blog do Planalto
Fonte: Assessoria de Imprensa da Liderança do PT no Senado

Leia também