PT no Senado e movimentos populares unidos contra o golpe

:: Fernando Rosa31 de janeiro de 2017 12:55

PT no Senado e movimentos populares unidos contra o golpe

:: Fernando Rosa31 de janeiro de 2017

O desemprego cresceu 3,1% no último trimestre de 2016 em relação ao mesmo período de 2015, segundo dados do IBGE divulgados nesta terça-feira. Com isso, a taxa de desemprego atingiu 12,0% no ano passado, contra 9,0% em 2015. O desemprego recorde desde 2012 é mais uma expressão da falácia das promessas dos golpistas.

Ao contrário de “recuperar” a economia, a pesquisa do IBGE aponta para uma recessão sem precedentes. Houve um aumento de 36,0% na taxa de desemprego no último trimestre do ano, ampliando em 3,3 milhões de pessoas desempregadas. O desemprego atinge atualmente 12,3 milhões de pessoas.

O desastre social é, em parte, resultado da condução irresponsável da Operação Lava Jato, que compromete as principais empresas produtivas nacionais. Também contribui para a grave situação o ataque à política de “conteúdo nacional” que destroça o parque industrial na área de petróleo e gás.

A liderança do Partido dos Trabalhadores no Senado Federal iniciou, nesta segunda-feira, um processo de planejamento das atividades da bancada para o biênio 2017 e 2018. O Seminário que deu início ao planejamento reuniu o conjunto dos senadores e senadoras, assessores técnicos e políticos da liderança e dos gabinetes dos parlamentares. A iniciativa tem por objetivo aprofundar o debate sobre a situação política do país, qualificar o trabalho de oposição ao governo golpista e construir alternativas para o Brasil.

No primeiro dia de atividades, o evento contou com a participação de representantes dos movimentos populares. A mesa “A luta dos movimentos sociais e o papel da Bancada do PT no Senado Federal”, mediada pela senadora Fátima Bezerra (PT-RN), contou com a participação de Vagner Freitas, presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Alexandre Conceição, líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Tamires Sampaio, diretora da UNE e integrante da Juventude da Coordenação Nacional das Entidades Negras (CONEN), Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e Eleonora Menicucci, ex-Ministra de Políticas para as Mulheres do Governo Dilma.

As lideranças populares manifestaram a disposição de trabalhar junto às bases sociais, estimular a formação de comitês populares e produzir materiais coletivos e massivos, em todas as mídias, como rádio, Internet e peças gráficas diversas.

Ao final dos debates, os participantes destacaram temas importantes para ações conjuntas: Fora Temer, Diretas já e Nenhum direito a menos.

Para o chefe de gabinete da Liderança do PT no Senado, Wilmar Lacerda, a parceria com os movimentos sociais é fundamental para a luta contra o golpe. “A conexão entre a ação parlamentar dos senadores e senadoras e a mobilização das entidades populares fortalece a luta para defender os direitos do povo e a soberania nacional”, diz Lacerda. “O Partido dos Trabalhadores nasceu nas lutas populares, governou para o povo, com Lula e Dilma, e mantém seu compromisso com a sociedade brasileira e o País”, afirma Lacerda.

Multimídia

No segundo dia do seminário (31), o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), falou sobre o resultado da reunião da bancada pela manhã:

Leia também