Despedida

PT: nota de pesar pelo falecimento de Sérgio Mamberti

Com imensa tristeza recebemos a notícia da morte do nosso querido companheiro, Sérgio Mamberti, que lutava contra problemas pulmonares
:: Agência PT de Notícias3 de setembro de 2021 14:29

PT: nota de pesar pelo falecimento de Sérgio Mamberti

:: Agência PT de Notícias3 de setembro de 2021

Mamberti foi um dos maiores atores brasileiros, construiu uma carreira brilhante no teatro, no cinema e na televisão. A carreira de Serginho, como carinhosamente era chamado pelos amigos, foi marcada por grandes atuações ainda na década de 1960, quando fez parte do histórico grupo Decisão e foi premiado por sua atuação na peça “O Balcão” de Jean Genet. Em 1967, impressionou a todos por sua atuação como “Veludo” em “Navalha na Carne”, demonstrando a enorme versatilidade como ator.

No cinema, atuou em “Toda nudez será castigada”, “Fogo e paixão”, “Agosto”, dentre tantas obras cinematográficas que marcaram nossa história. Na TV, Serginho desde a década de 1970 atuou em novelas e séries de grande sucesso. Marcou época como o mordomo “Eugênio” de Vale Tudo e ganhou os corações de uma geração de crianças e adolescentes como o “Dr. Victor” de “Castelo Rá-tim-bum”, que segue presente na memória com seu maravilhoso bordão “raios e trovões”.

Sérgio Mamberti aliou a vida como talentoso ator a de militante político. Resistiu à ditadura militar. Nos anos 1970, lutou pela Anistia e foi um dos líderes do movimento que garantiu o reconhecimento da profissão de artista no final daquela década.

Foi militante do PT, desde sua fundação e contribuiu imensamente para a elaboração do partido a respeito da arte e da cultura, bem como foi um elo de conexão da comunidade cultural com o PT.

Em nossos governos, Serginho foi parte fundamental da construção das mais inovadoras políticas culturais, tendo sido Secretário de Identidade e Diversidade Cultural do MinC e presidente da FUNARTE.

Nesse período, empunhou a bandeira de defesa da diversidade cultural, recebendo destaque no Brasil e no mundo. Na UNESCO, foi um dos impulsionadores da convenção sobre a proteção e promoção da diversidade cultural – sobre a qual ele sempre falava com imenso carinho.

Filiado ao PT, Mamberti foi um dos fundadores da Secretaria Nacional de Cultura do PT. Militante dedicado, era membro nato do coletivo de cultura, sempre acompanhando com dedicação a vida partidária e lutando pela importância da cultura na luta política.

Admirador e amigo do presidente Lula esteve presente em todas as suas campanhas. Durante o golpe de 2016, foi um dos resistentes, articulando manifestações em defesa do mandato da presidenta Dilma. Lutou incansavelmente pela liberdade do presidente Lula e nos últimos tempos estava esperançado com a possibilidade de Lula voltar à presidência.

Mamberti era um talento único e também era um lutador como poucos, nunca esmorecia e, mesmo em momentos de revés, mantinha o otimismo, a disposição e generosidade. É uma perda irreparável para todos nós.

Deixamos nosso abraço carinhoso aos filhos, familiares e amigos de Serginho Mamberti. Hoje choramos junto deles a falta do nosso companheiro, que seguirá nos inspirando a lutar por um Brasil justo e igualitário.

Aplaudimos de pé a vida e o talento de Serginho.

Viva, Sérgio Mamberti, presente hoje e sempre em nossos corações.

Brasília, 3 de setembro de 2021

Gleisi Hoffmann, presidenta Nacional do PT
Márcio Tavares, secretário nacional de Cultura do PT

Leia também