Perseguição política

PT presta solidariedade a Guilherme Boulos e ao PSOL

Partido dos Trabalhadores repudia a perseguição ao ex-candidato do PSOL à Presidência e a criminalização dos movimentos sociais como MTST
:: Agência PT de Notícias19 de fevereiro de 2019 13:50

PT presta solidariedade a Guilherme Boulos e ao PSOL

:: Agência PT de Notícias19 de fevereiro de 2019

O Partido dos Trabalhadores manifestou sua solidariedade, nesta terça-feira (19), ao ex-candidato à Presidência Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), e ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), contra a tentativa de intimidação e ameaças das quais tem sido alvo. O PT repudia toda e qualquer perseguição aos movimentos sociais e líderes de esquerda, típicas do autoritarismo e do ódio legitimados pela ultra direita brasileira.

A atuação conjunta do PT, do PSOL, do PSB e REde na Câmara dos Deputados,  reforça a unidade da esquerda em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, da Democracia brasileira e contra a criminalização de movimentos sociais, como o MTST. O PT e a esquerda não vão abrir mão de denunciar e lutar pelos que realmente atuam em defesa do povo brasileiro.

Confira à íntegra da nota do PSOL

O Partido Socialismo e Liberdade repudia a tentativa de criminalização de Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e nosso candidato nas eleições presidenciais de 2018. Desde a conclusão do processo eleitoral de 2018, Boulos e o MTST têm sido alvos de reiteradas tentativas de intimidação. Desta vez, além da retomada de dois processos antigos que buscam tipificar como crime ações de Boulos e do MTST em defesa do direito à moradia, há uma acusação da Advocacia Geral da União (AGU) contra ele, como representante do MTST, envolvendo ainda lideranças de outros movimentos, em relação a uma manifestação contra a Reforma da Previdência, realizada em 2017.

Num momento em que o governo Bolsonaro é alvo de inúmeras denúncias de corrupção e tenta avançar seu programa de ataques a Previdência Social, sua estratégia se ampara na perseguição de adversários a partir da ideia de “inimigo interno” para se defender. Não por acaso recuperam as mobilizações de 2017 na mesma semana que Bolsonaro deve enviar seu projeto de reforma da previdência ao Congresso Nacional, numa clara tentativa de intimidar os movimentos sociais.

É flagrante a tentativa de silenciamento de uma das mais importantes e firmes vozes de oposição ao governo Bolsonaro. Não podemos aceitar que a luta pelos direitos do povo brasileiro seja criminalizada. Todo apoio a Guilherme Boulos e ao MTST!

Partido Socialismo e Liberdade
18 de fevereiro de 2019

Da Redação da Agência PT de Notícias