Vazamento de óleo

PT vai convocar Salles a explicar medidas para conter desastre ambiental no Nordeste

Ministro terá de explicar no Senado providências tomadas pelo governo para minimizar vazamento de óleo no litoral. TCU será acionado a acompanhar e apontar possível omissão do Executivo
:: Da redação22 de outubro de 2019 17:46

PT vai convocar Salles a explicar medidas para conter desastre ambiental no Nordeste

:: Da redação22 de outubro de 2019

A bancada do PT apresenta requerimento nesta quarta-feira, 23, para a convocação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a explicar perante a Comissão de Meio Ambiente do Senado quais providências foram tomadas pelo governo para conter as manchas de óleo que contaminaram o litoral nordestino. O líder do PT, Humberto Costa, cobra ação do governo Bolsonaro. “A indignação com o descaso do governo é imensa. O povo pernambucano tomou as rédeas da situação e foi sozinho salvar seu litoral”, criticou.

A situação é considerada crítica e o acidente se transformou numa tragédia para os ecossistemas do Nordeste. “As primeiras notificações sobre as manchas de óleo cru aconteceram em 30 de agosto e, até agora, o Ibama não tem uma conclusão sobre os impactos do acidente à vida marinha da região. Diz apenas que o assunto permanece em avaliação”, cobrou Jaques Wagner (PT-BA), vice-presidente da CMA.

Outro requerimento será apresentado pela bancada petista no plenário do Senado, solicitando ao Tribunal de Contas da União (TCU) uma inspeção e uma auditoria das ações e das possíveis omissões do governo federal sobre as tais manchas de óleo. “Até agora não se conseguiu conter o avanço do que foi identificado pela Petrobras como óleo cru”, lamentou o senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Pesquisadores de todo o país se debruçam há três semanas para descobrir de onde vem e qual a origem do óleo vazado que já atingiu, até agora, 200 localidades em 74 municípios de nove estados nordestinos: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. O vazamento de óleo poluiu água, areia e comprometeu o ecossistema, atingindo fortemente arrecifes de corais, inclusive o segundo maior do mundo, no litoral de Alagoas.

Foram retiradas das praias nordestinas mais de 600 toneladas de óleo bruto. Um grupo formado por técnicos da Marinha, Ibama e da Agência Nacional de Petróleo acompanha as equipes locais, que permanecem mobilizadas para monitoramento e limpeza de resíduos remanescentes. O trabalho de limpeza tem envolvido agentes de estados e municípios, voluntários e organizações não governamentais, nem sempre com o acompanhamento do governo federal.

O requerimento de convocação de Ricardo Salles é assinado pelos seis senadores petistas: o líder Humberto Costa (PE), Jaques Wagner (BA), vice-presidente da CMA; Jean Paul Prates (RN); Paulo Paim (PA); Paulo Rocha (PA); e Rogério Carvalho (SE); além da senadora Zenaide Maia (Pros-RN).

Comissão Externa de senadores
O plenário do Senado aprovou, nessa terça-feira (22), a formação de uma comissão temporária externa para acompanhar, por 180 dias, as ações do governo Bolsonaro no caso das manchas de óleo que se espalham pelo litoral da região Nordeste.

A comissão será composta por oito senadores: Fabiano Contarato (Rede-ES), Jean Paul Prates (PT-RN), Humberto Costa (PT-PE), Styvenson Valentim (Podemos-RN), Jaques Wagner (PT-BA), Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Rodrigo Cunha (PSDB-AL).

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES),  presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado Federal, e os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Jean Paul Prates (PT-RN) participaram de reunião com o vice-presidente da República, general Mourão, solicitando providências urgentes para enfrentar a crise ambiental no Nordeste.

#AoVivo Acabamos de sair de uma reunião com o presidente em exercício Hamilton Mourão, solicitada pela Comissão de Meio Ambiente do Senado, para discutir a grave crise ambiental no litoral do Nordeste, provocada por toneladas de óleo vazado.

Publicado por Humberto Costa em Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Leia também