Região Norte aumentou participação na riqueza do Brasil

No nordeste, o destaque é o Piauí - o PIB saiu de R$ 7,4 bi para R$ 22 bi em 10anos - alta de 197%.

:: Da redação23 de novembro de 2012 17:18

Região Norte aumentou participação na riqueza do Brasil

:: Da redação23 de novembro de 2012

As políticas iniciadas pelo presidente Lula a partir de 1º de janeiro de 2003, orientadas para diminuir as desigualdades sociais e incentivar o desenvolvimento econômico mudaram a cara do Brasil e produziram resultados surpreendentes. A pesquisa “Contas Regionais do Brasil 2010”, divulgada nesta sexta-feira (23/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que a região Norte aumentou sua parcela na construção da riqueza do País.  A participação da região Norte no Produto Interno Bruto (PIB) nacional subiu de 4,7% em 2002 para 5,3% em 2010, enquanto as regiões Sudeste e Sul diminuíram suas participações, embora continuem com elevada participação no PIB nacional.

Nesse período de dez anos, a pesquisa indicou que as regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte aumentaram 0,5 a 0,6 ponto percentual na participação do PIB. Por conta da recuperação dos preços do minério de ferro e os investimentos em infraestrutura e na construção da usina de Belo Monte, o estado do Pará aumentou sua participação no PIB de 1,6% em 2002 para 2,1% em 2010, mas há outros estados que tiveram desempenho extraordinário.

mapa-piaui-localizacaoO Piauí, em 2002, participava com apenas 0,5% na construção da riqueza do País e em 2010 atingiu 0,6%. Num primeiro olhar, a evolução parece mínima, mas ponta do lápis a política de desenvolvimento econômico e social implantada pela administração petista no estado deu o seguinte resultado: o PIB local saiu de R$ 7,425 bilhões em 2002 para R$ 22,060 bilhões em 2010, um crescimento de 197%. E, no conjunto da obra, o PIB que era de R$ 1,7 trilhão em 2002 atingiu R$ 3,77 trilhões em 2010. Uma alta de nada mais do que 156,46%. O crescimento do PIB nacional em termos de volume, nesses oito anos, foi de 37,1%, com a média anual de 4%.

O senador petista Wellington Dias (PT-PI), ao longo deste ano, na Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) do Senado, afirmou em diversas ocasiões que as diferenças regionais ainda persistem, apesar de a região Norte ter aumentado sua participação no PIB nacional. Pelo lado positivo dessa maior contribuição para a riqueza do País, Wellington Dias também observou que os desembolsos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em investimentos produtivos deveriam acompanhar o crescimento econômico, até porque nesses oito anos, em termos de volume do PIB, o crescimento da região norte foi de 53,2%.

A pesquisa mostra, também, que a formação do PIB nacional ainda conta com uma participação expressiva de oito estados, equivalente a 77,8%. São eles: São Paulo (33,1%), Rio de Janeiro (10,8%), Minas Gerais (9,3%), Rio Grande do Sul (6,7), Paraná (5,8%), Bahia (4,1%), Santa Catarina (4,0%) e Distrito Federal (4,0%).

Marcello Antunes

 

Confira a pesquisa completa

Leia também