Renovando-se, PT chega aos 34 anos de luta por um Brasil melhor

Na noite dessa segunda-feira, presidente nacional do PT, Rui Falcão, destacou a capacidade de renovação demonstrada pelo partido

:: Da redação11 de fevereiro de 2014 18:31

Renovando-se, PT chega aos 34 anos de luta por um Brasil melhor

:: Da redação11 de fevereiro de 2014

Os 34 anos de fundação do Partido dos Trabalhadores começaram a ser comemorados na noite da última segunda-feira (10), em São Paulo, em um ato com a presença da presidenta Dilma Rousseff, e de toda a diretoria executiva atual do partido.

Cerca de duas mil pessoas foram ao Auditório Celso Furtado, no Palácio de Convenções do Anhembi e mais de 30 mil acompanharam a manifestação pela internet. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), integrou a mesa diretora do evento, que também contou com a presença dos senadores petistas Gleisi Hoffmann (PR), Wellington Dias (PI) e Lindberg Farias (RJ).

No discurso mais aguardado da noite, a presidenta Dilma destacou o papel do PT como instrumento de emancipação dos brasileiros. “Se alguém pedisse uma definição do PT, eu diria que o nosso partido é um persistente, cuidadoso, semeador de oportunidades do trabalhador brasileiro e semeador do futuro. Essa é a marca do nosso partido e tem sido a essência do nosso governo”, afirmou.

O ex-presidente Lula, que não pôde estar presente à comemoração — ele viajou para Nova York, onde debate, nesta terça-feira (11) a política econômica do Brasil na Fundação Bill Clinton, a convite do ex-presidente americano —, gravou uma mensagem em vídeo exibida durante a festa.  Ele recordou as palavras do cartunista Henfil, após a eleição de 1982, a primeira disputada pelo PT: “Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; se não houver flores, valeu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção da semente”.

Lula havia sido derrotado na disputa para o governo paulista. “De 1982 para cá, o PT se transformou no mais importante partido de esquerda da América Latina. E fizemos isso sem dogmas, com democracia e pluralismo”, lembrou o ex-presidente. “As únicas coisas que se exige dos nossos militantes é que eles sejam éticos e lutem para que o povo mais humilde conquiste a cidadania”. O ex-presidente emocionou a militância ao afirmar que “nenhum petista pode deixar de sentir orgulho de tudo o que construímos neste País”.

Orgulho como o manifestado pela senadora Gleisi Hoffmann, que acaba de retornar à bancada após um período de dois anos e meio como chefe da Casa Civil da Presidência da República. O PT, lembrou ela, é “um partido que deu outra identidade ao povo brasileiro: que o poder também lhe pertence. Os legados são visíveis e sensíveis. É certo que reduzimos a miséria, incluímos as pessoas, ampliamos acessos a políticas sociais. Mas é certo também que mexemos na autoestima do povo brasileiro. Hoje o povo sabe que tem poder, participa, decide”, afirmou, em mensagem publicada nas redes sociais. A senadora Ana Rita (ES) também manifestou sua alegria de poder participar das grandes mudanças que vêm sendo promovidas no Brasil pelos governos petistas “São três décadas de lutas permanentes em favor da construção da mais plena democracia e da justiça social”, disse. 

Além da manifestação promovida pelo Diretório Nacional, em São Paulo, os 34 anos do PT também estão sendo celebrados em atos realizados pelas instâncias estaduais e municipais do partido. Na manhã da última segunda-feira (10), o senador Wellington Dias participou de uma dessas comemorações, um café da manhã que reuniu lideranças, prefeitos, parlamentares e dirigentes de legendas aliadas, em Teresina (PI). Na ocasião, o senador, que governou o estado por dois mandatos (2003/2006 e 2007/2010) destacou os avanços alcançados no Piauí no combate à desigualdade social priorizando os mais pobres, a democracia participativa e o desenvolvimento sustentável e elogiou os 11 anos do PT à frente do Governo Federal. “Não somos mais aventureiros, fazemos um governo que prioriza a democracia e a transparência”, declarou. 

No ato em São Paulo, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, destacou a capacidade de renovação demonstrada pelo partido, nesses 34 anos, sempre capaz de construir novas lideranças e dar voz aos mais jovens.

Leia também